Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Raquel Landim
    Blog

    Raquel Landim

    Com passagens pelos principais jornais do país como repórter especial e colunista, recebeu o prêmio “Jornalista Econômico” de 2022 pela Ordem dos Economistas do Brasil

    Nunes deve ir à passeata de Bolsonaro por “cálculo eleitoral”, dizem aliados

    Receio é desagradar o ex-presidente e deixá-lo livre para lançar um candidato de direita nas eleições municipais

    O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, deve ir à passeata de apoio a Bolsonaro por “cálculo eleitoral” e por defesa da presunção de inocência, dizem aliados.

    O receio é desagradar o ex-presidente e deixá-lo livre para lançar um candidato de direita nas eleições municipais, como Ricardo Salles ou Marcos Pontes.

    Um congestionamento do campo da direita poderia tirar Nunes do segundo turno, como ocorreu com Rodrigo Garcia nas eleições para o governo do Estado.

    A pressão de Tarcisio de Freitas também pesou. O governador paulista declarou que iria na manifestação e estaria ao lado de Bolsonaro.

    Os dois estavam juntos hoje quando Nunes falou sobre o assunto.

    Todavia o martelo ainda não está batido e apoiadores do prefeitos enfatizam que ele não cravou sua presença. Ressaltam ainda que o Bolsonaro teria liberado sua ida ou não ao evento.

    Dirigentes do MDB pressionam para que Nunes não vá e enfatizam que o partido não endossa o apoio a alguém que atentou contra a democracia como Bolsonaro.

    Houve, no entanto, uma mudança de tom e eles agora dizem que o partido não é dono de Nunes. Procurado, o prefeito não se manifestou.