Confiança empresarial recua pela primeira vez desde agosto, indica FGV


02 de março de 2020 às 11:26
Coronavírus tem afetado Bolsas de Valores e a cotação das moedas pelo mundo

Coronavírus tem afetado Bolsas de Valores e a cotação das moedas pelo mundo

Crédito: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O Índice de Confiança Empresarial (ICE) caiu 0,5 ponto em fevereiro em relação a janeiro, informou nesta segunda-feira, 2, a Fundação Getulio Vargas (FGV). Ele caiu  para 97,2 pontos, após oito meses em alta.

Apesar do recuo, o aumento de casos de coronavírus ainda não impactou no índice, segundo a entidade. “Quase toda a coleta de informações para as sondagens de fevereiro foi realizada antes do expressivo avanço do surto mundial de coronavírus, na última semana do mês”, disse em nota Aloisio Campelo Jr, Superintendente de Estatísticas Públicas da instituição.

“Em fevereiro, o índice de expectativas empresariais registrou a primeira queda desde agosto passado, tendo como destaques negativos o setor de Serviços e a Construção. Em ambos os casos, os indicadores, que antes sinalizavam otimismo com os meses seguintes, passaram a retratar neutralidade. Os indicadores de situação atual também recuaram no mês, embora neste caso o setor de Serviços tenha sido o único responsável”, prossegue o texto. 

Em médias móveis trimestrais, o índice manteve tendência crescente ao avançar 0,6 ponto. Os setores de Indústria e o Comércio avançaram. Já a confiança no setor de Serviços recuou 1,7 ponto em fevereiro, e a confiança da Construção caiu 1,4 ponto. 

O ICE apresenta os índices de confiança dos quatro setores cobertos pelas Sondagens Empresariais produzidas pela FGV IBRE: indústria, serviços, comércio e construção. O objetivo é que o estudo permita uma avaliação mais precisa sobre o ritmo da atividade econômica.