Dólar abre março em alta; Ibovespa tem pregão estável


Por Reuters, CNN  
02 de março de 2020 às 10:54 | Atualizado 02 de março de 2020 às 11:56
Bolsa de SP abriu estável

Usuário tira foto de telão da Bolsa de São Paulo; pregão abriu março estável após perdas em fevereiro

Crédito: Nacho Doce/REUTERS (21.03.2019)

O dólar abriu o primeiro pregão de março em alta ante o real nesta segunda-feira (2) depois de registrar o maior avanço para fevereiro em 5 anos, com os investidores ainda temerosos em relação ao impacto econômico do coronavírus e de olho em possíveis medidas de estímulos de bancos centrais.

A doença originada na China segue se espalhando para novos países, mantendo o temor dos mercados, que, na semana passada, derrubou as principais bolsas internacionais e elevou o dólar a máximos recordes sucessivos contra o real. 

Na sexta-feira, o dólar avançou 0,13% em relação à divisa brasileira, a 4,4811 reais na venda, pico histórico para fechamento. Nesta segunda-feira, às 10:20, a moeda norte-americana avançava 0,32%, a 4,4956 reais na venda. Na B3, o dólar futuro era negociado em alta de 0,02%, a 4,4995 reais.

Já a bolsa paulista operava estável após uma semana de expressivas perdas em razão do surto do novo coronavírus no mundo e da confirmação dos primeiros casos no Brasil.

Esse cenário de indefinição nos primeiros negócios desta segunda também refletia as movimentações nos principais mercados financeiros do mundo, que continuam acompanhando o noticiário sobre o coronavírus e seu potencial efeito na economia global.

Às 10:15, o Ibovespa – principal índice da bolsa da São Paulo – subia 0,15%, a 104.638,28 pontos. O índice abriu a 104.259,51 pontos após fechar na sessão anterior em alta de 1,15%.  

O impacto da doença nos mercados

Esse movimento, segundo nota da Commcor DTVM, é, mais uma vez, responsabilidade do coronavírus. "O Covid-19 continua mostrando uma velocidade de contágio, atingindo 58 países e apenas no domingo registrando 1.739 novos casos".

Os EUA já registraram sua segunda morte causada pela doença, enquanto a OCDE alertou, nesta segunda-feira, que o surto está afundando a economia mundial em sua pior recessão desde a crise financeira global.

Apesar do cenário de tensão, a sessão também é marcada por esperança de resposta de autoridades. "Os bancos centrais mundiais começaram a mostrar maior preocupação e passam a sinalizar ações para minimizar os efeitos na economia mundial", disse a Commcor.

O Banco Central ofertará, nesta segunda-feira, até 13 mil contratos de swap cambial tradicional com vencimento em agosto, outubro e dezembro de 2020, para rolagem de contratos já existentes.