Petroleiros aceitam acordo com Tribunal Superior do Trabalho


Do CNN Brasil Business, em São Paulo
05 de março de 2020 às 18:47 | Atualizado 15 de março de 2020 às 17:06
Fachada Petrobras Rio de Janeiro

Fachada da sede da Petrobras, no Rio de Janeiro (16.Out.2019)

Crédito: Sergio Moraes/ Reuters

Os trabalhadores demitidos da Araucária Nitrogenados, subsidiária de fertilizantes da Petróleo Brasileiro S.A. (Petrobras) no Paraná, informaram ao ministro Ives Gandra Filho, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), nesta quinta-feira (5/3), a aprovação da proposta apresentada por ele em 27/2 sobre o plano de demissão decorrente do fechamento da empresa.

A proposta dá a possibilidade de os trabalhadores optarem pela quitação geral, renunciando a reivindicar qualquer parcela relativa ao contrato de trabalho, mediante compensações. Quem aderir a essa opção terá, entre outras vantagens, indenização de 40% da remuneração por ano de serviço desde o início do contrato, acrescida da remuneração, com garantia de valor mínimo de R$ 110 mil e máximo de R$ 490 mil. A proposta prevê também o oferecimento de vagas em cursos de aperfeiçoamento profissional, visando à obtenção de novos empregos.