Aéreas mudam regras para alteração de passagens em função do coronavírus


Anna Russi Da CNN Brasil, em Brasília
07 de março de 2020 às 16:57 | Atualizado 07 de março de 2020 às 17:14
Avião da Latam em Congonhas, São Paulo

Avião da Latam Airlines no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo

Foto: Nacho Doce - 19.dez.2017/ Reuters

Em razão da proliferação de casos do novo coronavírus, as companhias aéreas brasileiras começaram a adotar novas regras para alteração de passagens. O grupo Latam flexibilizou as regras para o reagendamento de bilhetes internacionais. 

De acordo com a companhia, clientes com reservas para voos internacionais a serem realizados até 31 de dezembro poderão reagendar suas viagens até 22 de março. Será permitida a alteração da data e/ou do destino. Apesar de os reagendamentos até 14 dias antes da partida original do voo não terem multas, estarão sujeitas à diferença tarifária.

Já a Azul Linhas Aéreas disponibilizou a opção de reembolso integral da passagem para clientes com conexão nas cidades portuguesas de Lisboa ou Porto e que tem como destino ou origem a Itália.

Outra mudança da companhia, embora não seja diretamente em função do novo coronavírus, segundo sua assessoria de imprensa, é a suspensão temporária das operações entre as cidades de Campinas, no interior de São Paulo, e Porto.

Essa mudança será válida para voos entre 16 de setembro deste ano e 21 de março de 2021, período que compreende o outono, o inverno e o início da primavera no hemisfério norte. A Azul informou que os passageiros impactados pela alteração serão reacomodados em outros voos.

A Gol não anunciou nenhuma mudança nas regras de passagens em razão da proliferação da doença. "A Gol informa, ainda, que está acompanhando de perto a possível evolução do coronavírus no Brasil e reforça que toda a sua equipe de atendimento, em solo, no ar e nos canais digitais, estão a postos para sanar quaisquer dúvidas de clientes sobre suas viagens", afirma.