Estamos absolutamente tranquilos e confiantes, diz Guedes


Estadão Conteúdo
09 de março de 2020 às 11:30 | Atualizado 15 de março de 2020 às 16:52

O ministro da Economia, Paulo Guedes, respondeu nesta segunda-feira (9) aos questionamentos sobre o patamar do dólar e a eventualidade do aumento da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), afirmando que a equipe econômica está absolutamente tranquila. "Estamos absolutamente tranquilos e confiantes", disse o ministro, que não respondeu sobre a possibilidade de aumentar ou não a Cide em função da queda dos preços do petróleo.

Paulo Guedes falando

Ministro da Economia minimizou atual crise do câmbio e pregou tranquilidade 

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

"Absoluta serenidade. A crise lá fora está se aprofundando. O mundo lá fora já estava em desaceleração. A principal mensagem de Davos, e eu avisei, é que o mundo está em desaceleração sincronizada. Todo mundo está descendo", comentou.

Para o ministro da Economia, o Brasil está na direção contrária, em "reaceleração", como tem dito nos últimos dias.

O dólar começou a semana batendo mais um recorde nominal - descontando a inflação - desde o Plano Real, atingindo a casa de R$ 4,79, na manhã desta segunda-feira.

Quando questionado sobre a patamar da moeda, o ministro respondeu que o País hoje tem como prioridade o seu regime fiscal. "O Brasil era paraíso dos rentistas e inferno dos empreendedores. Na véspera de eleição muitas vezes o Brasil praticou populismo cambial", disse, acrescentando que o governo está consertando o regime fiscal brasileiro.

"Esse novo país tem juros mais baixos e câmbio numa faixa mais alta. E o câmbio é flutuante", destacou o ministro da Economia.