BC promove leilão de dólar à vista nesta terça, com oferta de US$ 2 bilhões


Do CNN Brasil Business, em São Paulo*
10 de março de 2020 às 05:49 | Atualizado 15 de março de 2020 às 13:48
Pilha de dólares; moeda americana atinge valor recorde no Brasil

Com ameaça do coronavírus, dólar tem renovado recorde nos pregões da Bolsa de São Paulo

Foto: Guadalupe Pardo/Reuters (14.10.2015)

O Banco Central realiza leilão de dólares à vista nesta terça-feira (10), referenciado à Ptax. A operação será realizada entre 9h10 e 9h15, com a oferta de até US$ 2 bilhões.

Na segunda-feira, o BC vendeu US$ 3 bilhões no mesmo modelo pela manhã. À tarde, a autoridade monetária realizou outro leilão à vista, com a venda de US$ 465 milhões.

As medidas ocorrem em meio à forte desvalorização da moeda americana frente ao real e a fortes quedas do Índice Ibovespa, acompanhando tendência mundial de queda pelos efeitos do aumento de casos do novo coronavírus (COVID-19) e da "guerra de preços" no petróleo entre Arábia Saudita e Rússia. 

Alta recorde

O dólar escalou a novos recordes históricos na segunda-feira, aproximando-se de R$ 4,80, na esteira de uma onda de aversão a risco global diante do colapso dos preços do petróleo e de temores econômicos relacionados ao coronavírus.

A moeda americana até saiu das máximas da sessão, mas não sem antes o Banco Central (BC) vender um total de US$ 3,465 bilhões. Trata-se do maior volume a ser liquidado em um mesmo dia desde pelo menos 11 de maio de 2009.

No fechamento das operações no mercado à vista, o dólar saltou 1,97%, e terminou a R$ 4,7256 na venda, depois de alcançar R$ 4,7950, novo pico histórico intradiário. A alta da moeda no fechamento foi a mais forte desde 6 de novembro de 2019 (+2,22%).

*(Com Estadão Conteúdo)