Pela segunda vez na semana, Ibovespa aciona circuit breaker


Do CNN Brasil Business, em São Paulo
11 de março de 2020 às 15:25 | Atualizado 15 de março de 2020 às 13:11
Bolsa de valores de SP

Dia de pregão na bolsa de valores de São Paulo (09.Mai.2016); Ibovespa registrou queda de 10,11% até o circuit breaker 

Foto: Paulo Whitaker/Reuters

Após bater queda de 10% pela segunda vez na semana às 15h15, o Ibovespa acionou novamente o circuit breaker. Os negócios foram paralisados com o Ibovespa aos 82.887 pontos. A bolsa já apresentava uma queda forte desde o início do dia, mas os ânimos ficaram ainda mais exaltados após a Organização Mundial da Saúde declarar o coronavírus como uma pandemia.

Na hora em que entrou no circuit breaker, Petrobras ON cedia 12 47% e Petrobras PN, 12,67%. A mineradora Vale recuava 10,29%. As principais quedas do índice estavam com Azul PN (-21,28%), Gol PN (-19,21%) e CSN ON (-17,40%).

É a primeira vez que a B3 paralisa os negócios duas vezes na semana desde 2008, durante a crise do subprime nos Estados Unidos. Esta é a 19ª vez que o mecanismo é acionado desde sua adoção em 1997. Na segunda-feira, o Ibovespa caiu 12,17%, a maior baixa em mais de 20 anos. Antes disso, a última ocasião em que o circuit breaker foi ativado ocorreu em 18 de maio de 2017, por causa da Delação da JBS.

Circuit breaker é uma ferramenta utilizada pela B3 que permite, em caso de quedas bruscas da bolsa, a suspensão parcial das negociações para amortecimento e o rebalanceamento das ordens de compra e de venda. 

Na prática, existem três etapas de circuit breaker. Quando o Ibovespa acumula quedas de 10% em relação ao índice de fechamento do dia anterior, os negócios são interrompidos por 30 minutos em todos os mercados.

Reabertos os negócios, caso a variação do Ibovespa atinja uma oscilação negativa de 15% em relação ao índice de fechamento do dia anterior, haverá outra interrupção, dessa vez por uma hora.

Num segundo retorno, caso a variação do Ibovespa atinja uma oscilação negativa de 20% em relação ao índice de fechamento do dia anterior, a Bolsa poderá determinar a suspensão dos negócios em todos os mercados por prazo definido a seu critério, sendo comunicado ao mercado por meio da Agência de Notícias da B3. 

Dólar

Em momento de incertezas globais, a moeda americana segue se valorizando frente ao real nesta quarta-feira e o dólar já vale R$ 4,72, aumento de 1,7%. As bolsas americanas também registram de fortes quedas: 

Nos Estados Unidos, as bolsas americanas também registram forte queda. Enquanto o S&P 500 já registrava desvalorização de 5%, o índice Dow Jones ia ainda pior com queda de 5,4%.