BCE corta estimativas de crescimento para a zona do euro em 2020 e 2021


Do CNN Brasil Business, em São Paulo*
12 de março de 2020 às 12:29 | Atualizado 15 de março de 2020 às 12:32

O Banco Central Europeu (BCE) cortou as estimativas de crescimento para este ano e o próximo nesta quinta-feira (12), e disse que as novas projeções, feitas antes do surto de coronavírus na Europa, estão provavelmente defasadas.

O BCE disse esperar agora que a economia da zona do euro cresça 0,8% este ano, 1,3% em 2021 e 1,4% em 2022. Em dezembro, as estimativas eram de 1,1% em 2020 e 1,4% para cada um dos dois anos seguintes.

A presidente do BCE, Christine Lagarde disse que os riscos para essa perspectiva são "claramente negativos", e que a epidemia do coronavírus adicionou um elemento negativo "substancial".

"O crescimento da zona do euro deve retomar a tração no médio prazo", disse ela em entrevista à imprensa após o banco optar por deixar as taxas de juros inalteradas. "Coronavírus vai desacelerar produção e reduzir demanda." 

As projeções de inflação foram mantidas em 1,1%, 1,4% e 1,6%.

"Novas medidas vão apoiar liquidez e financiamento para famílias e bancos", afirmou. "Estamos dispostos a ajustar todos nossos instrumentos, quando necessário", acrescentou Lagarde. 

A data de corte para as estimativas econômicas do BCE é normalmente três semanas antes de elas serem apresentadas ao Conselho do banco, responsável pela formulação da política monetária.

*(Com Reuters e Estadão Conteúdo

Presidente do BCE, Christine Lagarde

Presidente do BCE, Christine Lagarde disse que riscos para atuais projeções são "claramente negativos", diante do coronavírus

Foto: REUTERS/Vincent Kessler/File Photo