Bolsas europeias despencam de novo após Trump adotar restrições a viagens


Reuters
12 de março de 2020 às 07:52 | Atualizado 15 de março de 2020 às 12:39

O mercado acionário europeu despencava para o menor nível em quase quatro anos nesta quinta-feira (12), com os investidores nervosos após dramáticas restrições de viagens impostas pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em uma tentativa de conter o coronavírus.

bolsa frankfurt

Operadores na Bolsa de Frankfurt, na Alemanha (09.mar.2020)

Foto: Kai Pfaffenbach/Reuters

Às 7:38 (horário de Brasília), o índice FTSEEurofirst 300 caía 5,85%, a 1.225 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdia 6%, a 313 pontos.

Na quarta-feira (11) Trump suspendeu as viagens da Europa para os Estados Unidos por 30 dias, provocando alarme nos mercados financeiros depois de as bolsas dos EUA terem entrado em território baixista.

O STOXX 600 ampliava as perdas para o sexto dia seguido, depois que a Organização Mundial de Saúde se referiu pela primeira vez ao surto de coronavírus como pandemia.

As ações de viagem e lazer despencavam 9,9%, no menor nível desde 2013, com Air France KLM, Lufthansa e IAG perdendo entre 11,4% e 13,5%.

O setor agora já perdeu mais de um quarto de seu valor este mês.

- Em Londres, o índice Financial Times recuava 5,69%, a 5.542 pontos.

- Em Frankfurt, o índice DAX caía 5,76%, a 98.837 pontos.

- Em Paris, o índice CAC-40 perdia 5,88%, a 4.339 pontos.

- Em Milão, o índice Ftse/Mib tinha desvalorização de 5,52%, a 16.938 pontos.

- Em Madri, o índice Ibex-35 registrava baixa de 6,15%, a 6.978 pontos.

- Em Lisboa, o índice PSI20 desvalorizava-se 4,99%, a 4.007 pontos.