Bolsas asiáticas fecham em queda após corte de juros pelo Fed


Da CNN Brasil, em São Paulo
16 de março de 2020 às 05:28 | Atualizado 16 de março de 2020 às 05:30
Com máscara de proteção ao novo coronavírus, homem tem rosto refletido em painel

Com máscara de proteção ao novo coronavírus, homem observa painel com índices de ações, em Tóquio,, no Japão (10.mar.2020)

Foto: Stoyan Nenov/ Reuters

As principais Bolsas de valores da Ásia registraram quedas nesta segunda-feira (16), no dia seguinte ao anúncio de que o Federal Reserve, sistema de bancos centrais dos Estados Unidos, cortou 1 ponto percentual na taxa de juros do país, levando o índice a quase zero. 

Um dos recuos mais acentuados ocorreu na Bolsa de Hong Kong, com queda de 4,03% no índice Hang Seng. Também caíram os índices Nikkei (de Tóquio), em 2,46%; e Composite (Xangai), em 3,40%.

Na última semana, bolsas de todo o mundo somaram desempenhos negativos por conta de desdobramentos da crise do novo coronavírus — como restrições a viagens entre diversos países que fecharam fronteiras. Outro fator de grande influência, sobretudo no início da semana, foi a "guerra dos preços" do petróleo travada entre Arábia Saudita e Rússia. 

No domingo (15), de forma surpreendente, o Federal Reserve (Fed) corotou as taxas de juros dos Estados Unidos para um intervalo de 0 a 0,25%, em uma reunião extraordinária. A decisão foi tomada como ação emergencial para ajudar a estimular a economia dos EUA, em meio à pandemia global de coronavírus. 

"Os efeitos do coronavírus pesarão na atividade econômica no curto prazo e representarão riscos para as perspectivas econômicas. À luz desses desenvolvimentos, o comitê decidiu reduzir o alcance da meta", afirmou o Fed, em comunicado.

Este foi o segundo corte que o Fed faz em menos de duas semanas. No início de março, o Banco Central dos EUA já havia rebaixado a taxa para o intervalo de 1% a 1,25%.