Coronavírus: França promete ajudar empresas a pagar salários de funcionários


17 de março de 2020 às 07:23 | Atualizado 17 de março de 2020 às 07:42
Galeria Lafayette, loja de departamentos francesa

A Galeria Lafayette, loja de departamentos francesa, fechou as portas em Saint-Laurent-du-Var por causa do surto do novo coronavírus

Foto: Eric Gaillard - 16.mar.2020/ Reuters

A França prometeu liberar € 45 bilhões (US$ 50,2 bilhões), o equivalente a R$ 250 bilhões, para ajuda imediata a empresas e funcionários prejudicados pelos reflexos do novo coronavírus, que está desacelerando ou bloqueando grande parte da economia global.

Em entrevista a uma rádio local, o ministro de Finanças francês, Bruno Le Maire, disse nesta terça-feira (17) que as primeiras projeções são de que a pandemia vai retirar 1% do Produto Interno Bruto (PIB) do país em 2020. O governo planeja apresentar um projeto orçamentário revisado para este ano com a nova projeção ainda hoje, afirmou o ministro.

"Há uma guerra contra o vírus. Há também uma guerra econômica e financeira. Esta guerra econômica será duradoura e violenta", destacou Le Maire.

O governo francês disse que a ajuda para o setor empresarial envolverá uma série de medidas, incluindo a expansão de um esquema de emprego parcial, a partir do qual o Estado paga os salários dos funcionários que não são necessários durante a crise.

Na entrevista, Le Maire também reiterou que a França vai garantir € 300 bilhões (equivalente a R$ 1,6 trilhão) em empréstimos bancários anuais para pequenas e médias empresas.