Governo estuda criação de 'voucher coronavírus' para trabalhadores informais


Bárbara Baião da CNN Brasil, em Brasília
17 de março de 2020 às 14:41 | Atualizado 17 de março de 2020 às 15:29

Prédio do Ministério da Economia em Brasília (3.JAN.2019)

Foto: Adriano Machado/Reuters

A equipe econômica do governo deve anunciar ainda nesta semana, segundo apurou a CNN Brasil, medidas emergenciais direcionadas aos trabalhadores informais, com objetivo de tentar frear o impacto econômico do coronavírus para este segmento.

O plano é que o 'voucher coronavírus' seja temporário e ajude financeiramente os trabalhadores informais (que ocupam 40% da força de trabalho brasileira) e o setor de bares e serviços.

O pedido teria sido feito pelo presidente Jair Bolsonaro e os técnicos do ministério da Economia estão elaborando estudos para tirar a ideia do papel.

Leia mais:
Guedes anuncia R$ 147,3 bilhões em medidas contra coronavírus
Pacote do CMN é paliativo, mas importa mais que corte dos juros, diz Zeina Latif

O ministro da Economia, Paulo Guedes, já havia anunciado nesta segunda-feira (16) em Brasília um pacote de R$ 147,3 bilhões em medidas emergenciais contra os impactos econômicos do novo coronavírus (COVID-19).

Entre elas estão a antecipação da segunda parcela do 13º de aposentados e pensionistas do INSS para maio, a antecipação do abono salarial para junho e a transferência de recursos não sacados do PIS/Pasep para o FGTS, de forma a permitir nova liberação de saques.