Dólar fecha em queda pelo 2º dia seguido, mas continua acima de R$ 5


Do CNN Brasil Business, em São Paulo*
20 de março de 2020 às 09:07 | Atualizado 20 de março de 2020 às 19:12
Dolar

Moeda brasileira volta a se valorizar em relação à americana

Foto: Ricardo Moraes/Reuters

O dólar fechou em queda em relação ao real pelo segundo dia consecutivo. A cotação chegou a ficar abaixo de R$ 5, mas a baixa desacelerou na parte da tarde conforme os mercados externos voltaram a piorar diante das incertezas sobre os impactos econômicos do coronavírus.

A moeda norte-americana terminou esta sexta-feira (20) em baixa, de 1,5% a R$ 5,0274. Em 2020, o dólar acumula alta de 25,28%. 

Na mínima do dia, por volta das 14h20, o dólar chegou a cair a R$ 4,98, mas voltou a subir e bateu R$ 5,05 perto das 16h30. Minutos depois, o Banco Central anunciou leilão de venda de dólar spot (à vista), que teve colocação de US$ 175 milhões.

Mais cedo, das 10h até as 14h, o BC acolheu propostas para operações compromissadas em moeda estrangeira.

"Registre-se que a última vez que a autoridade monetária realizou esse tipo de operação foi em 2008 quando da crise do subprime nos Estados Unidos", disse em nota Ricardo Gomes da Silva, superintendente da Correparti Corretora.

"Na prática, essas operações equivalem a 'repos' (contratos de recompra), que também têm sido amplamente implementadas por outros bancos centrais, como consequência da crise."

Real continua pressionado

Nesta sexta, o Itaú Unibanco revisou para cima a projeção para o dólar ao fim deste ano, de R$ 4,15 para R$ 4,60.

"A moeda brasileira deve seguir pressionada nos próximos meses", disse o banco em nota na qual revisou estimativas para indicadores brasileiros. "Mas vemos espaço para apreciação, na medida em que o choque seja dissipado", ponderou o banco.

O Ibovespa terminou o dia em queda de 1,8% e, no ano, já acumula queda de 42%.

Nesta tarde, o governo divulgou revisão da previsão oficial para o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro neste ano, de um crescimento de 2,1% para estagnação de 0,02%.

No exterior, o S&P 500, referência da Bolsa de Nova York, caiu 4,3% nesta sexta, concluindo a pior semana desde 2008.

*Com Reuters