Impactos do coronavírus trazem incerteza e insegurança ao mercado de trabalho


Da CNN Brasil, em São Paulo
20 de março de 2020 às 00:37
 
Para além do distanciamento social e dos impactos na economia, o coronavírus traz também a incerteza para o mercado de trabalho. Com a roda da economia girando mais devagar e funcionários não podendo exercer suas atividades, há o temor de grandes levas de demissões.

Para o professor de economia da Universidade de São Paulo Hélio Zilberstein, as demissões podem ocorrer, mas irão depender de como as empresas enxergam a crise.

“Se as empresas acharem que o coronavírus é algo passageiro,não realizarão demissões, ou farão muito poucas. Custa caro demitir, não só pelos custos do processo, mas pelo tempo e treinamento investidos no funcionário.”

Segundo dados da Organização Mundial do Trabalho, a crise pode tirar o emprego de até 24,7 milhões de pessoas ao redor do planeta, causando impacto de até R$ 17 trilhões.

Para driblar os efeitos da pandemia, a empresa de auditorias Crowe já tem atualmente 85% de seus funcionários alocados em home office, número que, segundo Marcelo Lico, sócio-fundador da empresa, deve chegar a 100% na próxima semana.

Diante da situação inesperada, a chave é a solidariedade, segundo o ministro do Tribunal Superior do Trabalho Ives Gandra.

“Momentos de crise são momentos de união. É neste momento que empresários e trabalhadores devem estar unidos para, quando superado o momento, voltar a crescer. O trabalho remoto é uma solução, mas, para aqueles que não conseguem exercer suas atividades de casa, a redução de salario ou de jornada é a saída”, afirmou.