Dólar sobe 2,2%, a R$ 5,138, em meio a receio global com coronavírus


Do CNN Business, em São Paulo*
23 de março de 2020 às 09:05 | Atualizado 24 de março de 2020 às 08:49
Dólar negociado na Bolsa de São Paulo atinge valor recorde

Em 2020, o dólar acumula alta de mais de 25% em relação ao real

Foto: Mohamed Abd El Ghany/Reuters (20.03.2019

O dólar fechou a sessão desta segunda-feira (23) em alta de 2,2%, cotado a R$ 5,138, no primeiro avanço depois de dois dias em queda. Após abrir a sessão próximo à establidade, oscilando entre pequenos altos e baixos, a moeda norte-americana passou a operar em forte alta a partir do início da tarde, acompanhando também o clima de incertezas no exterior.  

Os investidores seguem receosos e em busca de ativos seguros – como o dólar – em meio à avalanche de notícias, anúncios e pacotes em países de todo o mundo relacionados ao coronavírus e à gravidade de seus impactos na economia.

Nos Estados Unidos, o Federal Reserve (Fed), banco central do país, anunciou um pacote de medidas sem precendentes que envolve recompras bilionárias de títulos financeiros e programas para estimular o crédito para famílias, pequenas empresas e grandes empregadores. De acordo com o Fed, trata-se de um esforço para compensar as "graves perturbações" econômicas causadas pela pandemia de coronavírus.

No Brasil, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse nesta segunda-feira que o BC tem arsenal para fazer frente a qualquer tipo de crise e está "absolutamente tranquilo". Além disso, afirmou que a autarquia tem poder de intervenção muito amplo no câmbio. 

Ainda nesta manhã, o BC anunciou três novas medidas para aumentar a disponibilidade de recursos na economia e ajudar instituições financeiras a atravessar a turbulência atual.

Todos esses movimentos acontecemm em um momento em que o mundo está à beira de uma recessão decorrente da pandemia de coronavírus, em meio a uma onda de cautela que já dura semanas, derrubou as bolsas de valores globais e já deixa a moeda norte-americana em alta de mais de 25% contra o real em 2020.

No Boletim Focus, publicação semanal do Banco Central que reúne as projeções de bancos e casas de análises do país, as projeções para o PIB de 2020 baixaram de 1,68% para 1,48%. Há um mês, eram de alta de 2,2% no ano. 

Histórico

Na sexta-feira (20), a moeda americana havia fechado em queda em relação ao real pelo segundo dia consecutivo.

A cotação chegou a ficar abaixo de R$ 5, mas a baixa desacelerou na parte da tarde conforme os mercados externos voltaram a piorar diante das incertezas sobre os impactos econômicos do coronavírus.

A moeda norte-americana terminou a semana em baixa de 1,5%, a R$ 5,027. Em 2020, o dólar acumula alta de 25,28%. 

*Com Reuters