Não temos como fazer um grande pacote contra coronavírus, diz secretário


Reuters
25 de março de 2020 às 16:32
Pessoas usam máscara em metrô de São Paulo

Pessoas usam máscara em metrô de São Paulo para tentar se proteger do novo coronavírus

Foto: Rahel Patrasso - 06.mar.2020/ Reuters

As medidas econômicas para enfrentamento do coronavírus sairão em fases, indicou nesta quarta-feira o secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida, pontuando que, diferentemente de países como Estados Unidos e Alemanha, o Brasil não tem estrutura fiscal para anunciar um grande pacote de uma vez só.

"É difícil para nós fazer grande anúncio, se a gente errar não tem outro", disse ele, em conversa organizada pela Necton Investimentos. "Adotamos estratégia em ondas", acrescentou.

Sachsida afirmou que esse norte foi baseado na imprevisibilidade acerca da duração da crise. O secretário ressaltou ainda que nenhuma medida da equipe econômica vai além de 2020, se encerrando em três meses ou no máximo até o final do ano.

O secretário disse ainda que o governo já revisou suas projeções fiscais e estima que o déficit primário ficará por volta de R$ 200 bilhões em 2020.

(Por Marcela Ayres)