Quarentena fecha 7 a cada 10 lojas no comércio de São Paulo

Proibição realizada pelo governador de São Paulo, João Doria, afetou quase 70% dos estabelecimentos e deixou 54% da mão de obra formal do setor em casa

Tiago Abech da CNN, em São Paulo
24 de março de 2020 às 21:00
Quase 70% de todos os estabelecimentos comerciais de São Paulo estão fechados; mais da metade dos trabalhadores formais estão ficando em casa
Foto: Amanda Perobelli - 20.mar.2020/ Reuters

O comércio é um dos setores mais afetados pela quarentena que entrou em vigor hoje em todo o estado de São Paulo. Por pelo menos 15 dias, apenas serviços essenciais poderão funcionar por determinação do governador João Doria e isso fez quase 70% dos estabelecimentos comerciais fecharem as portas. 

E a determinação está sendo seguida à risca pelos comerciantes. Um levantamento realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), e obtido com exclusividade pela CNN, mostra que dos 679 mil estabelecimentos de atacado e varejo, 460 mil estão sem funcionar.

Os que não entraram nesta conta são aqueles que o governador apontou como "essenciais". Nesse grupo entram estabelecimentos como supermercados, farmácias e padarias. Outros funcionam com restrições. Restaurantes, por exemplo, só podem vender comidas para viagem ou para entrega. 

As lojas fechadas representam 67,7% do total de estabelecimentos e empregam 1,3 milhão de trabalhadores (o equivalente a 54,1% de toda a mão de obra formal do setor). Apenas 32,3% do comércio paulista está aberto. No estado de São Paulo, o comércio movimenta, por dia, R$ 1 bilhão.