Índice Geral de Preços-Mercado sobe 1,24% em março, diz FGV

Referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis, número havia registrado variação negativa de 0,04% em fevereiro

Reuters
30 de março de 2020 às 08:42
Mulher usando máscara anda ao lado das lojas fechadas no centro do Rio de Janeiro durante pandemia do coronavírus (24.mar.2020)
Foto: Ricardo Moraes/Reuters 

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) passou a subir 1,24% em março. Alta ocorre em meio ao surto de coronavírus no país, depois de índice ter terminado fevereiro com variação negativa de 0,04%, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta segunda-feira (30).

O resultado ficou acima da expectativa em pesquisa da Reuters de alta de 1,20% no mês. 

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60% do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, teve no mês avanço de 1,76%, contra deflação de 0,19% em fevereiro.

Colaborando para esse movimento, o grupo Matérias-Primas Brutas estendeu a alta a 4,77% em março, ante 0,36% no mês anterior, com impulso dos itens minério de ferro, soja e café.

Por sua vez o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), com peso de 30% sobre o índice geral, desacelerou a alta a 0,12% em março, ante 0,21% no mês anterior.

O grupo Educação, Leitura e Recreação deu a principal colaboração para o arrefecimento do IPC, já que passou de alta de 1,04% em fevereiro para queda de 1,01% este mês. Em meio à pandemia de coronavírus em todo o mundo, os preços das passagens aéreas foram fator importante para essa leitura, recuando 10,26%, ante ganho de 0,34% anteriormente.

Já o Índice Nacional de Custo de Construção (INCC) subiu 0,38%, contra alta de 0,35% em fevereiro.

O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.