Juros subiram até 70%, dizem entidades em carta ao BC

Semana passada, o BC anunciou medidas capazes de injetar R$ 1,2 trilhão nos bancos

Fernando Molica
Por Fernando Molica, CNN  
30 de março de 2020 às 19:31
Pessoas circulam por shopping center em Recife (PE) (5.mai.2010)
Foto: Bruno Domingos/Reuters

Em carta com reivindicações enviada ao Banco Central, algumas das principais entidades representativas do varejo --entre elas a Associação Brasileira de Shopping Centers e a Confederação das Associações Comerciais-- afirmam que, por conta da epidemia do novo coronavírus, o aumento em taxas de juros chega a ultrapassar 70% em alguns casos. Isto, para operações comuns, como obtenção de capital de giro e antecipação de recebíveis.

O documento pede a "atenção" do BC para o problema, causado, de acordo com um empresário ouvido pela CNN, pela escassez de recursos nos bancos --com a crise, muitas empresas foram em busca de dinheiro ao mesmo tempo, o que elevou a procura e as taxas. Semana passada, o BC anunciou medidas capazes de injetar R$ 1,2 trilhão nos bancos.

O texto também solicita medidas como a utilização da estrutura dos cartões de crédito para a disponibilização de empréstimos aos empresários, que teriam taxas mais baixas que as normalmente praticadas.  O Tesouro Nacional ou o BNDES assumiriam o risco dessas operações.

Em outra carta, dirigida ao ministro da Economia, Paulo Guedes, as entidades pedem, entre outros pontos, liberação de verbas para a população em geral, suspensão de recolhimento de PIS e Cofins por pelo menos seis meses, isenção ou adiamento de cobrança de impostos e outros descontos que incidem sobre a folha salarial.