Bolsa sobe quase 3%, tem 3º dia de alta e se reaproxima dos 80 mil pontos

Dia forte nas bolsas americanas e expectativas em relação a um acordo em torno da produção de petróleo ajudaram no bom desempenho

Do CNN Business, em São Paulo*
08 de abril de 2020 às 10:22 | Atualizado 08 de abril de 2020 às 17:39
Painel da bolsa de valores de São Paulo
Foto: Paulo Whitaker/Reuters

O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, fechou a sessão desta quarta-feira (8) em alta de 2,97%, a 78.624,53 pontos, impulsionado principalmente pelo otimismo em bolsas estrangeiras. Foi o terceiro dia de avanços consistentes: na véspera, o Ibovespa subiu 3% e, na segunda-feira, havia encerrado o dia com ganho de 6,5%. 

O desempenho desta quarta-feira acompanhou em boa parte os ânimos em Wall Street, onde as bolsas também tiveram um dia bastante positivo, depois de o candidato democrata Bernie Sanders anunciar sua desistência da corrida eleitoral deste ano no país: o índice Dow Jones valorizou 3,44%, o S&P 500 subiu 3,41% e o Nasdaq Composite ganhou 2,58%.

Para o estrategista Dan Kawa, da TAG Investimentos, ativos de risco como as ações parecem estar se estabilizando em novo patamar, em meio a preços mais atrativos e pacotes agressivos de ajuda de governos e bancos centrais de vários nas principais economias do mundo.

Ele ressaltou, contudo, que, para uma inversão de tendênciamais estrutural, será preciso mais visibilidade sobre o tempoque esta "parada brusca" vai durar, assim como os efeitoscolaterais na economia e no sistema financeiro. "Por ora, temossinais mais positivos na Itália e Espanha, mas uma situação ainda delicada nos EUA."

Notícias mais positivas no sentido de um aguardado acordo para o corte da produção do petróleo pelos principais produtores da commodity também animaram os mercados, com o preço do barril tipo Brent fechando em alta de mais de 3% e o WTI disparando 6,2%. Isso se refletiu na forte valorização das ações da Petrobras, que subiram 5,6%.

Lá fora

Na Ásia, as bolsas chineses fecharam em queda, em meio ao aumento novas infecções por coronavírus no país, que dobrou na China continental.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 0,47%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 0,19%.

*Com Reuters