Disputa por material médico pode trazer consequências, diz diretor da OMC

Roberto Azevêdo também alertou que é preciso ter atenção ao setor de transporte internacional e, talvez, governos terão de ajudar empresas

Fernando Nakagawa
Por Fernando Nakagawa, CNN  
08 de abril de 2020 às 21:02

O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio, Roberto Azevêdo, reconhece que o comportamento mais agressivo de alguns países na disputa por equipamentos médicos em meio à pandemia pode deixar marcas e atrapalhar o futuro do comércio internacional.

Em entrevista à CNN, ele sugeriu uma coordenação global para evitar problemas. Nos últimos dias, os Estados Unidos foram acusados de “pirataria moderna” ao interceptar e direcionar material médico para o território norte-americano. Alemanha, França e Brasil estão entre os países que foram prejudicados.

Azevêdo também alertou que é preciso ter atenção ao setor de transporte internacional e, talvez, governos terão de ajudar empresas para evitar eventual colapso logístico. O diretor-geral da OMC reconhece que há risco de eventual falência de grandes nomes do transporte aéreo ou marítimo. Isso poderia gerar gargalos no transporte global, o que prejudica o comércio internacional. 

A OMC atualizou os números e avalia que o comércio global deve recuar entre 13% e 32% no ano de 2020. Nesse cenário, Azevêdo diz que as exportações do Brasil certamente sofrerão diante da perspectiva de recessão na economia global.

Confira a entrevista na íntegra abaixo: