Dólar fecha em alta pelo 3º dia seguido diante de iminente recessão global

Moeda dos EUA terminou esta quarta em alta de 1%, a R$ 5,2424

Do CNN Brasil Business, em São Paulo*
15 de abril de 2020 às 09:15 | Atualizado 15 de abril de 2020 às 18:10
Moeda americana chegou a cair por 4 dias na última semana, mas voltou a subir 
Foto: Gary Cameron/Reuters

O dólar fechou em alta em relação ao real pelo terceiro dia consecutivo nesta quarta-feira (15), seguindo movimento visto no exterior. A iminência de uma recessão global provocada pela pandemia de coronavírus fez com que investidores direcionassem o capital para ativos seguros como a moeda norte-americana, pressionando a cotação para cima.

O dólar encerrou a sessão em alta de 1%, a R$ 5,2424 na venda. Na semana, a valorização acumulada é de 2,98%.

"Estamos naquele momento de entender que o fato é mais complicado do que se pensava, no que se trata de economia", disse à Reuters Denilson Alencastro, economista-chefe da Geral Asset, referindo-se à pandemia de coronavírus.

"Teve um pouco de calmaria nos últimos dias, mas estimativas de ontem do FMI mostram uma recessão bem forte à frente. Os mercados estão refletindo essa incerteza, essa angústia."

Na terça-feira, o Fundo Monetário Internacional (FMI) estimou que economia global deve encolher 3,0% em 2020, em um colapso da atividade impulsionado pelo novo coronavírus. Se confirmada, será a pior recessão desde a Grande Depressão da década de 1930. Para o Brasil, a previsão é de queda de 5,3% do PIB

No mundo todo, as evidências do impacto devastador do Covid-19 levaram a uma fuga para a segurança, o que impulsionou o dólar (a moeda mais líquida do mundo) contra pares emergentes ou ligados a commodities. A moeda dos Estados Unidos se apreciava frente a 32 de uma lista de 34 pares nesta quarta.

Ruído político

Além do cenário internacional, os investidores também estiveram atentos à política doméstica. O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, avisou sua equipe na noite de terça-feira (14) que deve ser demitido pelo presidente Jair Bolsonaro até o final desta semana. E, nesta quarta, o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira, pediu demissão.

Depois do fechamento do mercado, porém, Oliveira apareceu em entrevista coletiva ao lado do ministro Mandetta, que disse que recusou o pedido e que os dois deixarão a pasta juntos. Oliveira é um dos responsáveis por formatar as ações de combate ao coronavírus no ministério.

"O noticiário mais confuso, por causa da política, afeta as expectativas. Os governantes não se entendem e isso afeta o preço dos ativos", comentou Denilson Alencastro.

Alta de mais de 30% no ano

Apenas em 2020, o dólar já acumula alta de mais de 30% contra a moeda brasileira. 

No último pregão, a moeda norte-americana fechou em alta de 0,10%, a R$ 5,1906 na venda.

*Com Reuters