'Não podemos esperar além de 10 de maio para reabrir', diz presidente da Alshop

Associação Brasileira de Lojistas de Shopping estima que, nos últimos 40 dias, o setor teve prejuízo de cerca de R$ 20 bilhões e diz que empregos estão em risco

Da CNN, em São Paulo
21 de abril de 2020 às 15:29

Presidente da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), Nabil Sahyoun afirmou à CNN, nesta terça-feira (21), que os comerciantes do setor já estimam prejuízo na casa dos bilhões e não podem esperar além do dia 10 de maio para reabrir os negócios - ou isso custará empregos.

"A gente efetivamente não pode esperar mais do que 10 de maio. Precisamos retornar essas atividades", defendeu. "Muitas empresas estão segurando os empregos para não demitir e eu acho que o ponto principal é que, depois de 10 de maio, ninguém vai conseguir segurar porque vai completar praticamente 60 dias de fechamento e aí, infelizmente, se não reabrirmos vai haverá uma taxa de demissão bastante expressiva, o que a gente não quer que aconteça", acrescentou.

Leia também:

Doria planeja 'flexibilização heterogênea' da quarentena para cidades paulistas
Reabertura em SP deve começar pelo interior e com uso de máscara obrigatório

Nabil pediu que flexibilização ocorra da forma mais rápida possível e respeitando os protocolos de saúde. Ele ainda afirmou que o setor tem "protocolos estabelecidos prontos" para apresentar ao governo a fim de retomar as atividades e evitar mais prejuízo ao setor. 

A entidade estima que, nos últimos 40 dias, o setor teve prejuízo de cerca de R$ 20 bilhões. "Estamos falando de um universo de 105 mil lojistas nos 577 shoppings. Então, é um prejuízo muito grande e que preocupa toda a comunidade empresarial que trabalha dentro de shopping", declarou.