Vice da FecomercioSP elogia reabertura, mas diz que retomada não será rápida

Ivo Dall’Acqua diz que consumidor está comedido dado o cenário econômico provocado pela pandemia do novo coronavírus

Da CNN, em São Paulo
20 de abril de 2020 às 22:42

A notícia de que o governo paulista quer começar a reabrir a economia em maio é uma “brisa de boas notícias”, disse à CNN Ivo Dall’Acqua Junior, um dos vice-presidentes da FecomercioSP. O dirigente da entidade ponderou, no entanto, que o consumo não deverá ser retomado rapidamente, dado o cenário econômico provocado pela pandemia do novo coronavírus.

"A notícia é muito boa, porque caminha no sentido de confiar que empresários e consumidores estão mais responsáveis. É muito bom, é um exercício de cidadania para lidar com a pandemia", disse Dall’Acqua. “Importante frisar que não é o fim do isolamento, uma vez que ainda estaremos de quarentena até termos segurança absoluta sobre a doença".

Dall’Acqua disse ser difícil mensurar os impactos econômicos da pandemia, pois não há números consolidados. Ele contou que o único estudo que tem em mãos mostra que, no final de março, o comércio demitiu 3% de sua mão de obra. Para o vice-presidente da FecomercioSP, os próximos meses serão difíceis.

“Nao achamos que consumo será retomado rapidamente por conta da insegurança de renda e empregos. O consumidor está sendo comedido”, disse.

Dall’Acqua relatou que vem recebendo pressão especialmente de empresários do interior que, segundo ele, “entendem que não tem forma de a economia voltar se eles não estiverem ativos”.

Segundo o vice da FecomercioSP, a pandemia foi um aprendizado para o empresariado, especialmente os pequenos, que entenderam que “seu maior ativo é o cliente". Por conta disso, Dall'Acqua disse crer que não haverá problemas em restringir acesso às lojas em casos de lotação por conta das restrições que ainda estarão vigentes na reabertura da economia.