FMI vê demanda atual de US$ 50 bi por nova linha de liquidez de curto prazo

O crédito é voltado a países que têm estruturas de política monetária muito fortes e que não fazem parte da zona do euro

Reuters
22 de abril de 2020 às 16:31

Sede do FMI, em Washington, EUA (08/04/2019)

Foto: Yuri Gripas/Reuters

A demanda atual pela nova linha de liquidez de curto prazo do Fundo Monetário Internacional por vários países pode chegar a US$ 50 bilhões, disseram autoridades do FMI nesta quarta-feira, dizendo que a ferramenta pode ajudar os países a atenderem suas necessidades de liquidez antes de se tornar um problema maior.

O Fundo Monetário Internacional está em discussões com vários países sobre o uso da medida, que foi aprovada pelo conselho executivo do FMI na semana passada, disseram as autoridades a repórteres, mas se recusaram a nomear candidatos específicos.

O uso da linha de liquidez rotativa será limitado a países que têm fundamentos e estruturas de política monetária muito fortes, que não são elegíveis para financiamento concessional e não fazem parte da zona do euro, disseram as autoridades, acrescentando que inicialmente cerca de 10 a 20 países seriam elegíveis para usar a ferramenta.

(Por Andrea Shalal)