Incerteza sobre futuro de Moro e agenda econômica levam dólar a R$ 5,52

Enquanto chefe da justiça teria pedido para sair do governo, comandante da equipe econômica não participou do lançamento de plano de incentivo à economia

Fernando Nakagawa
Por Fernando Nakagawa, CNN  
24 de abril de 2020 às 07:14 | Atualizado 24 de abril de 2020 às 07:46
Abertura de Mercado é um podcast diário com as principais notícias econômicas
Foto: CNN Brasil

Moeda alcançou novo recorde nominal, R$ 5,52, na sessão de quinta-feira (23). Em cenário negativo, banco suíço prevê moeda americana acima dos R$ 7 em 2021. Nos Estados Unidos, mais de 26 milhões de pessoas já perderam seus empregos e solicitaram seguro-desemprego durante a pandemia.

No episódio de hoje:

- A possibilidade de saída do ministro da Justiça, Sergio Moro, causou muito desconforto no mercado financeiro;
- Os investidores temem pela falta de coesão do governo Jair Bolsonaro; A polêmica ocorreu apenas um dia após a apresentação do plano de apoio à economia sem a presença da equipe econômica;
- O caso já havia demonstrado um enfraquecimento do ministro Paulo Guedes, outra peça importante do governo;
- Com tudo isso, o dólar fechou a quinta-feira (23) a R$ 5,52, novo recorde histórico nominal;
- O banco suíço UBS atualizou as previsões para o dólar no Brasil: R$ 4,45 num cenário otimista no final de 2020 ou R$ 5,75 na pior hipótese, com a moeda americana podendo chegar a R$ 7,30 em 2021;
- Mais de 3,5 milhões de brasileiros já tiveram salários reduzidos ou contratos suspensos desde o início da pandemia;
- Por conta disso, o governo já pagou R$ 7 bilhões em seguro-desemprego;
- Nos Estados Unidos, dados mostram que mais 4,4 milhões de pessoas requisitaram o auxílio na última semana;
Já são 26 milhões de pessoas que perderam seus empregos e pediram ajuda para o Estado;
- O antiviral Remdesivir fracassou no seu primeiro teste clínico;
- O jornal britânico Financial Times teve acesso ao documento. Foram 237 pacientes testados na China, sem redução da presença da doença;
- A GAP anunciou que vai parar de pagar o aluguel de shoppings e edifícios em que está instalada nos EUA e no Canadá;
- US$ 115 milhões devem ser poupados na operação, mas ainda pode ser insuficiente; O próximo passo é cortar empregos e tomar dinheiro emprestado de bancos;
- Redes como Walmart e Target, que ficaram abertas durante quarentena e vendem uma vasta gama de produtos, registraram bons resultados no mercado norte-americano;
- AGENDA: BC divulga dados sobre as contas externas do país;
- Nos EUA, às 11h, o governo disponibiliza informações sobre a confiança do consumidor em abril.