Armínio Fraga: mais importante agora é definir o que são gastos contra a crise

Em entrevista para a CNN, ex-presidente do Banco Central disse que é preciso deixar claro o que são gastos extraordinários para não perder credibilidade

Da CNN, em São Paulo
27 de abril de 2020 às 23:13

Diante do anúncio Pró-Brasil, surgiram diversas dúvidas sobre o plano, sua abrangência e área de atuação. Em entrevista à CNN, o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga afirmou que o foco no momento deve ser separar aquilo que são gastos extraordinários para a crise e o que são gastos correntes.

“Nosso estado não tem dinheiro para investir e não é de hoje, então o que paira no ar é a duvidar se conseguiremos fazer esta separação para não perder credibilidade”, disse Armínio, que defende modelo de investimento em grandes obras públicas, porém com participação de dinheiro privado.

“A resposta mais lógica à crise é fazer uma política keynesiana na veia, indo direto para onde ela é mais necessária, como o investimento em infraestrutura, saneamento. O caminho mais natural é ir com o setor privado, porque é onde tem dinheiro.”