Bolsonaro diz que atenderá Guedes '100%' e vetará reajuste de servidores


Estadão Conteúdo
11 de maio de 2020 às 19:17
O presidente Jair Bolsonaro acompanhado do ministro da Economia, Paulo Guedes

O presidente Jair Bolsonaro acompanhado do ministro da Economia, Paulo Guedes, em Brasília

Foto: Adriano Machado - 7.mai.2020/Reuters

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (11) que irá atender em "100%" a demanda do ministro da Economia, Paulo Guedes, e manterá a proposta de congelamento salarial para servidores públicos até dezembro de 2021.

A proposta é a contrapartida de estados e municípios para que fosse aprovado o projeto de socorro financeiro, de R$ 60 bilhões em injeção de recursos do Tesouro para minimizar os impactos do novo coronavírus na economia local. A proposta incluiu a renegociação e postergação de dívidas. No entanto, várias categorias foram excluídas na tramitação do projeto no Congresso, o que levou Guedes a pedir o veto de Bolsonaro às mudanças.

"Conversei de manhã com Paulo Guedes. Economia trabalha na questão dos vetos e vamos atender 100% o Paulo Guedes", disse Bolsonaro ao chegar ao Palácio da Alvorada.

Segundo ele, os vetos devem ser publicados até quarta-feira (13).

"Talvez quarta-feira vamos decidir. Servidor público vai estar congelado, a tendência neste ano é ter deflação, porque todo mundo perdeu poder aquisitivo, exceto servidor público", disse.

Para o presidente, a grande maioria dos servidores públicos é consciente de que, se a economia não se recuperar, não haverá dinheiro para pagar os salários.

"Até 31 de dezembro do ano que vem, se for vetado e não derrubarem o veto, não tem mais nada que fazer na economia a não ser desburocratizar", disse Bolsonaro, citando um novo decreto assinado por ele que teria revogado mais de 300 outros decretos.