Fechamento de plantas pela Justiça ocasionará desabastecimento, diz CEO da BRF


Do CNN Brasil Business, em São Paulo
13 de Maio de 2020 às 22:22 | Atualizado 14 de Maio de 2020 às 10:25

O movimento de estados e municípios para fechar frigoríficos que possuem trabalhadores com sintomas da Covid-19 pode ter um efeito complicado para o país: o desabastecimento. Essa é a opinião de Lorival Luz, presidente da fabricante de alimentos BRF, em entrevista para o CNN Líderes, comandado pela analista de economia, Raquel Landim.

"Nós temos conseguido operar mesmo com o afastamento do grupo de risco e estamos operando em patamares que assegurem a entrega (de alimentos)", diz Luz. "Porém, se começar a ter esses movimentos, será impossível garantir o abastecimento."

No fim da última semana, o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul pediu o fechamento de uma unidade da BRF na cidade de Lajeado e a redução de 50% da mão de obra do frigorífico na região de Minuano, localizado no mesmo município. Pelos mesmos motivos, o frigorífico JBS também tinha sido obrigado a fechar algumas de suas unidades. Até então, o setor está funcionando normalmente por ser considerado atividade essencial. 

Apesar desses contratempos, a BRF tem sido bem vista no mercado. No resultado do primeiro trimestre, por exemplo, a companhia apresentou um prejuízo líquido de R$ 38 milhões – valor 66% menor do que o obtido um ano antes.

Na visão de analistas, apesar de ainda apresentar perdas, o dólar forte em comparação ao real juntamente com a maior demanda global por alimentos ajudará a companhia a ter melhores resultados. 

Confira a entrevista completa no vídeo ou via podcast, clicando abaixo.