'Pauta econômica está indo muito bem', diz Adolfo Sachsida

Para o secretário de Política Econômica, "a vida é um pacote e neste pacote temos questões econômicas e de saúde"

Da CNN, em São Paulo
14 de maio de 2020 às 15:04


Em entrevista à CNN, Adolfo Sachsida, secretário de Política Econômica repercutiu as declarações feitas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a crise econômica no país durante a pandemia do novo coronavírus. Segundo ele, "boa parte das declarações foram refletidas no relatório entregue sobre a projeção de queda de mais de 4% do Produto Interno Bruto (PIB)", entretanto, garantiu que a pauta econômica "está indo muito bem".

"Cada semana de distanciamento social custa R$ 20 bilhões em produção e aumenta a probabilidade de desemprego, falência e endividamento e isso afeta o crescimento a longo prazo. Aqui não há nenhuma crítica a nenhum governador, queremos o melhor para o nosso país. Mas o que o presidente está falando é muito sério, é uma crise muito séria. Agora, devemos sair unidos dela. Não há dilema nenhum. A vida é um pacote e neste pacote temos questões econômicas e de saúde, além de vários outros tipos de preferências que estamos tendo na vida".

Questionado quanto à pobreza no país devido ao impacto da doença, Sachsida ponderou. "Se pegarmos as comunidades, por exemplo, metade da população leva até 14 dias para começar a passar fome  em período de distanciamento social. É por isso que o auxílio emergencial é tão importante (...) Então existe uma parte do Brasil onde a a questão econômica é muito séria. Nós temos que sair de maneira responsável desta crise e unidos"

Leia também:

Em videoconferência, Bolsonaro promete reduzir tributos e pede que empresários lutem contra Doria

Roberto Azevêdo deixa direção da OMC

Oferta da Uber por GrubHub preocupa pequenos restaurantes, que sofrem com taxas

"O que nós temos que ter é um projeto de retomada econômica para quando for possível, retomar as atividades. Isso tem pois o ministro Guedes cobra diariamente da gente. Nosso país está em uma situação fiscal muito difícil, então nós, quanto nação temos que fazer escolhas. Por exemplo, será que não é o momento de nós pararmos de transferir dinheiro do pobre para o rico? Porque o Brasil é cheio de programa social que ao invés de ajudar pobre, ajuda o rico. Que tal pegarmos os programas que não funcionam e colocarmos em programas que funcionam? Então essas discussões estão sendo feitas". 

Por fim, Sachsida elogiou a conduta da equipe econômica e os esforços para conter os danos. "Às vezes o pesssal de fora acha que está tendo muito ruído, que a situação está complicando. Ano passado foi assim e nós aprovamos diversas pautas importantes para o país. Então, a pauta econômica está indo muito bem e eu tenho certeza que com a liderança de Bolsonaro, Paulo Guedes e dos presidentes da Câmara e Senado, nós vamos sair dessa crise mais fortes e unidos."

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta quinta-feira (14), na saída do Palácio da Alvorada, que as medidas restritivas impostas por diversos estados para controlar o avanço do novo coronavírus pioram a crise no país. Ele afirmou que "vai faltar dinheiro para pagar servidor público".