Locadoras de carros esperam retomada ampla após pandemia, diz associação

A associação divulgou que cerca de 160 mil motoristas de aplicativos devolveram os carros por causa do baixo movimento

Da CNN, em São Paulo
19 de maio de 2020 às 12:38

Presidente da Associação de Locadoras de Automóveis, Paulo Miguel Junior afirmou à CNN, nesta terça-feira (19), que as empresas de aluguéis de carros estão enfrentando o pior momento da crise com a devolução de veículos em razão das medidas de isolamento social. Entretanto, o setor espera uma retomada ampla.

"Nós não temos pátio para agregar toda a frota em uma devolução de uma única vez e isso realmente causou um grande impacto, com as locadoras tendo que procurar estacionamentos ou galpões para guardar esses veículos. Agora, estamos enfrentando efetivamente o pico do nosso problema. Podemos calcular 60 dias de paralisação", afirmou o representante.

Leia também:

Sem serviço, 160 mil motoristas devolvem carros; locadoras já alugam por R$ 10

Micro e pequenas empresas têm que ter alternativa ao Pronampe, diz secretário

'Cuidar da saúde ajuda volta da economia', diz presidente da Lojas Renner

Na semana passada, a associação divulgou que cerca de 160 mil motoristas de aplicativos devolveram os carros por causa do baixo movimento após a crise do novo coronavírus.

Perguntado sobre como as empresas esperam se recuperar dessa crise, Miguel Junior afirmou que o setor está otimista com o retorno da frota às ruas. "A gente espera uma retomada muito mais ampla do que as outras atividades no pós-pandemia, que as pessoas vão buscar o transporte individual como meio de preservação", estimou. "Quem não quiser usar o transporte público em um primeiro momento, pode usar o carro compartilhado ou o alugado. Acreditamos que esses 160 mil veículos vão retornar muito rapidamente", acrescentou.

Maior empresa do país no ramo, com frota de 323,3 mil carros, a Localiza teve redução de 33% em abril nos aluguéis de carros
Foto: Divulgação/ Localiza