'Arrecadação em São Paulo deve cair 30% em maio', afirma Henrique Meirelles

Governos estaduais querem repasse até o fim do mês

Da CNN em São Paulo
22 de maio de 2020 às 13:27

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) prometeu, em reunião por videoconferência com governadores na quinta-feira (21), sancionar o projeto de socorro a entes federativos.

O secretário da Fazenda de São Paulo, Henrique Meirelles, afirmou à CNN que o pacote de ajuda aos Estados e municípios, que aguarda sanção Bolsonaro, é essencial e reforçou que "não há espaço para o aumento de salário dos servidores. Segundo ele, a arrecadação no estado deve cair 30% em maio. 

Leia também:

Celso de Mello pede que PGR opine sobre apreensão do celular de Bolsonaro
Secretário pede demissão da Saúde por discordar de documento sobre cloroquina

"O fato é que a crise está afetando pontualmente a economia e fortemente a nossa arrecação. Em abril tivemos uma queda de 22% e a nossa previsão é que em maio tenha uma queda de 30%. Portanto, é extremamente necessário a sanção deste projeto."

"O Senado incluiu a possibilidade de ter aumento de salário durante este ano. Na conversa com o presidente ontem, juntamente com os governadores, tinha sido acordado que ele iria vetar este artigo. Não há espaço para aumento de salários, nós não podemos correr o risco de entrar em colapso", explica o secretário. 

Questionado sobre as fases de reabertura do comércio a partir de junho, Meirelles reforçou que irá monitar todos os setores, que o processo será feito de maneira gradual e que um diálogo está sendo realizado com comerciantes.

"Temos um trabalho muito grande de estudar, de setor a setor, e cada secretário de estado está encarregado por um setor específico. Vamos monitorar todos eles a partir de protocolos específicos para que o setor possa se adaptar às regras para a reabrir", afirmou. 

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse à CNN na quinta-feira que a reunião por videoconferência foi “histórica, porque reverteu expectativas”. Segundo ele, não houve nenhum tipo de ataque e nem de antagonismo, refletindo até no Ibovespa, que fechou em alta de 2,1%. Doria disse ainda que, por parte dos governadores, a paz nunca tinha sido rompida.