Ibovespa fecha em queda com exterior ruim, balanços e à espera de vídeo

Ameaças entre China e Estados Unidos pressionaram os mercados externos nesta sexta. Na semana, principal índice da B3 acumulou alta de quase 6%

Do CNN Business*
22 de maio de 2020 às 10:12 | Atualizado 22 de maio de 2020 às 19:04
Ibovespa caiu 1% nesta sexta, a 82 mil pontos
Foto: Rahel Patrasso

O Ibovespa fechou em queda nesta sexta-feira (22), mas encerrou a semana no azul, na medida em que  o mercado brasileiro continua volátil em razão da pandemia de Covid-19 e do cenário político movimentado no país.

O Ibovespa, índice de referência do mercado acionário brasileiro, caiu 1,03%, a 82.173 pontos. O volume financeiro somou R$ 21,4 bilhões. Na semana, porém, o índice acumulou ganho de 5,95%, revertendo performance negativa nas duas semanas anteriores. 

As ações da Cogna e das Lojas Renner estiveram entre as maiores perdas desta sexta, após resultados fracos no primeiro trimestre em meio à pandemia da Covid-19.

Para o analista Rafael Ribeiro, da Clear Corretora, foi um dia de realização de lucros para o mercado, por conta da alta na véspera e também pelo fato de o Ibovespa estar próximo da máxima desde abril, na faixa de 84 mil pontos.

"O movimento de ajuste foi liderado pelas ações ligadas às commodities com mais um capítulo da guerra comercial entre EUA e China", disse. "O presidente chinês deixou claro que Pequim tem soberania sobre Hong Kong, indo de encontro com a posição diplomática norte-americana", completou.

"Essa ação [chinesa] prejudica a relação com os EUA, gerando ainda mais tensão", avaliou a equipe do Safra em nota enviada mais cedo a clientes.

Inernamente, após trégua na cena política na véspera, agentes financeiros aguardavam a divulgação do vídeo da reunião ministerial na qual, segundo o ex-ministro Sergio Moro, o presidente Jair Bolsonaro teria tentado interferir no comando da Polícia Federal.

"Além da questão da ingerência do presidente sobre a PF,...há rumores que indicam que a gravação inclui outras declarações controversas do presidente e dos seus ministros... Dependendo da intensidade e teor, os comentários.. podem afetar o ânimo do mercado tanto quanto, ou mais, do que a questão da interferência indevida", observou a Guide Investimentos pela manhã.

Lá fora

Os preços do petróleo e os mercados globais de ações caíram nesta sexta-feira, com a decisão da China de impor nova lei de segurança em Hong Kong pressionando ainda mais as relações entre o país asiático e os EUA e obscurecendo perspectivas de recuperação econômica.

Os mercados na Europa e o índice Dow Jones da Bolsa de Nova York fecharam perto da estabilidade, com investidores se preparando para um fim de semana prolongado nos Estados Unidos, no Reino Unido e em outros lugares. Mas, em Wall Street, os índices S&P 500 e Nasdaq conseguiram fechar em alta.

"O mercado continua tentando ir para cima, apenas quer subir", disse Tim Ghriskey, estrategista-chefe de investimentos da Inverness Counsel, em Nova York. "(O mercado) está antecipando melhora e vimos todas as más notícias."

O índice MSCI de ações globais caiu 0,40%, mas o índice acionário pan-europeu STOXX 600 fechou em queda de apenas 0,3%.

Em Wall Street, o índice Dow Jones caiu 0,04%, enquanto o S&P 500 ganhou 0,23%. O índice de tecnologia Nasdaq avançou 0,43%.

Na Ásia, o índice Hang Seng de Hong Kongcaiu mais de 5%, maior queda percentual diária desde 2015 e para o menor nível em sete semanas. O índice MSCI para ações da região Ásia-Pacífico fora Japão perdeu 2,7%. O índice Nikkei da Bolsa de Tóquio caiu 0,8%.

Destaques da B3

Cogna ON caiu 8,51%, após prejuízo líquido R$ 39,122 milhões no primeiro trimestre, resultado da piora no desempenho operacional e maior alavancagem financeira. O cenário deflagrado pelo Covid-19 também influenciou na redução do volume de captação de alunos do ensino presencial e aumento de provisões. Yduqs ON recuou 5,19%.

Lojas Renner ON cedeu 8,34%, após tombo de cerca de 94% no lucro líquido do primeiro trimestre sobre o resultado positivo de um ano antes influenciada pelos impactos da epidemia de Covid-19 sobre sua divisão de serviços financeiros. Executivos da varejista de vestuário veem margens pressionadas ainda no segundo trimestre. No setor, Cia Hering ON fechou em baixa de 9,09%.

Usiminas PNA perdeu 5,03%, tendo balanço também no radar, com prejuízo líquido de R$ 424 milhões no primeiro trimestre, em meio a um resultado financeiro negativo afetado por perdas cambiais. Executivos afirmaram durante teleconferência que esperam para breve um equilíbrio entre oferta e demanda por aço no Brasil, algo que poderia permitir reajustes de preços da liga. No setor, CSN ON caiu 0,23% e Gerdau PN perdeu 3,73%.

Petrobras PN recuou 2,71%, acompanhando o declínio dos preços do petróleo no mercado externo, onde o Brent caiu 2,6% diante das crescentes tensões entre Estados Unidos e China e de dúvidas sobre o quão rápido a demanda por combustíveis no mundo se recuperará da pandemia de coronavírus.

Vale ON fechou com declínio de 1,68%, em linha com seus pares na Europa, mesmo após os contratos futuros de minério de ferro da China subirem pela oitava sessão consecutiva nesta sexta-feira, marcando a melhor semana em mais de oito meses, com a forte demanda doméstica e o aperto da oferta da commodity siderúrgica do Brasil.

Itaú Unibanco PN reagiu e encerrou com acréscimo de 0,53%, enquanto Bradesco PN subiu 0,59%. Já Banco do Brasil ON recuou 2,56%.

Equatorial ON subiu 2,79%, tendo no radar divulgação do balanço após o fechamento do mercado, com o índice do setor elétrico também fechando em alta, de 0,91%, com Eletrobras ON valorizando-se 7,67%. No campo de empresas de utilidade pública, Sabesp ON avançou 4,22%.

*Com informações da Reuters