Copom está dividido sobre limite para redução de juros, diz diretor do BC


Anna Russi, do CNN Brasil Business, em Brasília
05 de junho de 2020 às 15:34 | Atualizado 05 de junho de 2020 às 16:42
banco central

Sede do Banco Central, em Brasília (16.mai.2017)

Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

O diretor de Política Econômica do Banco Central, Fabio Kanczuk, comentou que entre os membros do Comitê de Política Monetária (Copom), os apetites para testar o limite de redução da taxa de juros básica são diferentes.

"Essa fronteira tem cálculos diferentes e o apetite é diferente. Eu pessoalmente vejo que temos que caminhar com muito cuidado para ver como o mercado se comporta quando avançamos em um ponto. Não é algo imutável e que não pode testar", disse. 

Na avaliação do próprio Kanczuk, ele tem "um pouco mais de apetite" a esses testes do que outros membros do comitê. Ele participou de uma videoconferência promovida pela XP investimentos, nesta sexta-feira (5). 

Crédito 

Ao longo da conversa, Kanczuk destacou que o crédito para as pequenas e médias empresas brasileiras liberado pelo Banco Central está sim fluindo e chegando na ponta. Para ele, as dificuldades no acesso ao recursos é por um choque na oferta e na demanda. 

"Vamos aperfeiçoar alguns pontos, mas temos notado que está chegando sim nas pequenas empresas, está fluindo direitinho. É uma das incompreensões que a gente está achando injusta. Está indo, mas por que as pessoas reclamam? Porque a demanda por crédito subiu tanto que a oferta, apesar de ter subido bastante, não está conseguindo satisfazer o surto imenso de demanda", explicou. 

Sem dar mais detalhes, ele adiantou que novas medidas para facilitar o acesso ao crédito devem ser anunciadas em breve. "O Banco Central pode fazer a mais, mas vou me limitar a dizer que a gente vai anunciar coisas a mais em breve. Não posso dar spoiler aqui", disse.

Clique aqui e siga a página do CNN Brasil Business no Facebook