Comércio de rua volta a funcionar em São Paulo e lojas têm que se adaptar

Além das medidas de proteção, o acordo dos setores com a prefeitura inclui testagem de funcionários e horário de funcionamento reduzido

Da CNN
10 de junho de 2020 às 23:30

O comércio de rua foi reaberto na maior cidade do país. Além das medidas de proteção, o acordo dos setores com a prefeitura de São Paulo inclui testagem de funcionários e horário de funcionamento reduzido.

Na manhã desta quarta-feira (10), a ansiedade era tanta que antes mesmo do horário previsto, algumas lojas abriram na principal rua de comércio popular de São Paulo, a 25 de Março, no centro. Muitas pessoas foram para a região no primeiro dia de abertura controlada e os lojistas tiveram que seguir os protocolos de segurança estabelecidos pela prefeitura.

Na rua José Paulino, no bairro do Bom Retiro, houve aglomeração. Em uma loja, a guarda municipal precisou intervir e orientar os clientes para que respeitassem o distanciamento social.

Assista e leia mais:

Coordenadora do Conselho Econômico diz que São Paulo não reabre por ‘pressões’

Shoppings pedem cautela à população de São Paulo

Mas nem todos os comerciantes abriram as portas. Alguns foram até pegos de surpresa. "Realmente pegou muita gente desprevenida e muitas precisariam se preparar, mas não estavam", disse o empresário Nelson Tranquez, que tem três lojas na capital e precisou fazer adaptações em todas elas para reabrir. Avisos de obrigatoriedade do uso de máscaras, disponibilização de álcool em gel e provadores interditados foram algumas das medidas.

É importante lembrar que os novos protocolos sanitários serão obrigatórios enquanto durar o estado de calamidade pública na cidade de São Paulo, que não tem prazo para acabar.

(Edição: André Rigue)