PayPal investe US$ 530 milhões no combate à injustiça racial nos EUA


Luís Lima, do CNN Brasil Business, em São Paulo
11 de junho de 2020 às 17:30 | Atualizado 11 de junho de 2020 às 17:45
Sede do PayPal em San Jose, na Califórnia

Sede do PayPal em San Jose, na Califórnia

Foto: Dilvugação

A empresa de pagamentos norte-americana PayPal anunciou um investimento de US$ 530 milhões no combate à injustiça racial nos Estados Unidos. Os recursos serão destinados a diversas iniciativas, nos curto, médio e longo prazos, sendo a principal a criação de um fundo de R$ 500 milhões para apoiar aportes em empresas lideradas por minorias, que inclui a população preta. 

“Nossa intenção, como empresa responsável, é sempre assumir compromissos significativos, mas reconhecemos que temos muito mais trabalho a fazer. E este é mais um passo em direção às nossas aspirações globais”, disse a companhia, em comunicado divulgado nesta quinta-feira (11). 

Os US$ 30 milhões restantes serão distribuídos em outras quatro frentes, que incluem o fortalecimento de programas internos de diversidade e inclusão, ajuda emergencial a companhias de negros e negras, impactadas pela pandemia ou por manifestações civis, além de apoio a empreendedores negros. 

A decisão do PayPal vem na esteira de uma série de manifestações sociais, que tiveram como estopim a morte por asfixia do negro George Floyd por um policial branco, na cidade de Minneapolis, em Minnesota, nos EUA, em 25 de maio. 

Mais investimentos 

Na semana passada, o banco japonês SoftBank, anunciou um fundo de US$ 100 milhões para investir em companhias lideradas por empreendedores negros. Chamado de "Fundo de Oportunidade para o Crescimento" e focado nas comunidades negra e latina dos Estados Unidos, o fundo é o maior de seu tipo, afirmou a companhia japonesa de investimento.

O fundo vai investir em empreendedores de "comunidades que enfrentam desvantagens sistêmicas na construção e expansão de seus negócios", disse o vice-presidente de operações, Marcelo Claure, que será responsável por ele. Claure também comanda um fundo do SoftBank focado em investimento na América Latina.

"Racismo é uma coisa lamentável", disse o presidente-executivo do SoftBank, Masayoshi Son, no Twitter, encerrando a mensagem com a hashtag #blacklivesmatter.

Clique aqui e siga a página do CNN Brasil Business no Facebook