Brasil tem problema fiscal e de baixa produtividade, diz economista

O Banco Central decidiu reduzir nesta quarta-feira mais uma vez a taxa básica de juros, que atingiu a nova mínima histórica, passando de 3% ao ano para 2,25%

Da CNN, em São Paulo
17 de junho de 2020 às 23:09

Em entrevista à CNN nesta quarta-feira (17), o economista Roberto Padovani falou sobre a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) de reduzir mais uma vez a taxa básica de juros, que atingiu a nova mínima histórica, passando de 3% ao ano para 2,25%.

Segundo ele, o país, diferentemente de economias mais "maduras", tem um problema fiscal e de baixa produtividade que impede o juro zero. “Mas qual é esse nível [de limite do BC] ninguém sabe dizer. Portanto, a recomendação de todo mundo é que se tiver que fazer, faça muito pouco”, falou. 

Assista e leia também:

Com novo corte, Copom reduz taxa básica de juros a 2,25% ao ano

Selic baixa faz Brasil flertar com juro real negativo – mas se livrar por pouco

Inflação de 2020 deve ser a mais baixa em 22 anos – e por que isso não é bom

Diante das expectativas de forte queda no desempenho da atividade econômica, a intenção do BC com juros baixos é uma tentativa de estimular a recuperação da economia. Na avaliação do economista, o Comitê terá que continuar testando, pois “é um terreno que nunca andamos, então não conhecemos”.

(Edição: André Rigue)