Dólar cai 0,9% e fecha a R$ 5,27, acompanhando exterior

O real acompanha o movimento de outras divisas emergentes, em meio a apetite maior por risco no mercado global

Do CNN Brasil Business, em São Paulo*
22 de junho de 2020 às 09:18 | Atualizado 22 de junho de 2020 às 17:17

Foto: Ricardo Moraes/Reuters

O dólar encerrou esta segunda-feira (22) em queda, depois de uma semana em que passou por um ciclo forte de alta. O dólar comercial caiu 0,86% e fechou cotado a R$ 5,272 na venda. Na sexta-feira, a cotação cedeu 0,99%, mas, na semana, a alta acumulada foi de 5,6%.

Nesta segunda, o real acompanhou o movimento de outras divisas emergentes, com investidores comprando ações e moedas de países emergentes ou ligadas a commodities em meio a perspectivas de retomada econômica. 

"Dados econômicos mais positivos e reabertura começam a sustentar a tese de retomada econômica rápida, mesmo com os EUA já se preparando para uma controlada segunda onda de contágio do coronavírus", disseram em nota analistas da XP Investimentos.

No cenário local, sinais iniciais de uma melhora na atividade animaram os investidores. A Fundação Getulio Vargas disse nesta segunda-feira que a confiança da indústria no Brasil provavelmente mostrará forte recuperação em junho, registrando a maior variação mensal positiva da série depois de uma melhora na percepção dos empresários sobre a situação atual e sobre os próximos meses.

Apesar do otimismo, a política continua no radar, e "segue influenciada pelos desdobramentos da prisão de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro", disse a XP. "O caso, somado a outros em que o grupo do presidente Jair Bolsonaro enfrenta desafios no Judiciário (...), tem pautado o dia a dia do governo e deve continuar a produzir efeitos."

Em meio a clima tenso em Brasília, o domingo foi marcado mais uma vez por manifestações contra e a favor do governo federal, e o presidente Jair Bolsonaro novamente não compareceu a atos de apoio à sua gestão na capital do país.

A incerteza política tem sido apontada por analistas como fator de pressão sobre o real, que também foi prejudicado em 2020 por um cenário de juros baixos e crescimento fraco no país.

Embora o dólar tenha recuado ante máximas históricas próximas a 6 reais tocadas em meados de maio, a divisa ainda acumula alta de cerca de 30% contra a moeda brasileira no ano.

*Com Reuters

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook