Pagamento instantâneo PIX vai permitir saque direto no varejo, diz Campos Neto


Anna Russi, do CNN Brasil Business, em Brasília
22 de junho de 2020 às 15:03 | Atualizado 22 de junho de 2020 às 15:27
O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto: sociedade demanda soluções de pagamento baratas, seguras, rápidas, transparentes e de estruturas abertas

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, anunciou, nesta segunda-feira (22), que o novo sistema de pagamentos lançado pelo Banco Central, o PIX, vai permitir o serviço de saque de dinheiro em espécie por meio da rede varejista.

Sem dar mais detalhes, ele informou que as regras e detalhes do produto serão apresentados pelo Banco Central na próxima reunião do Fórum Pagamentos Instantâneos (PI), em agosto. 

"O que posso adiantar é que essa facilidade visa trazer mais eficiência, por meio da reutilização do dinheiro no varejo e do aproveitamento dessa rede, e fomentar a competição,ampliando as opções e a capilaridade das instituições para ofertarem o saque", disse na abertura da 9ª reunião do Fórum PI.

Leia também:
Tem que reabrir agora porque economia não resiste, diz assessor de Guedes
Boletim Focus, do Banco Central: o que é e como impacta o mercado financeiro

Ele destacou também que o serviço tem potencial de reduzir o custo logístico e operacional com a distribuição de cédulas de moedas, bem como agregar "conveniência aos considerando, podendo gerar negócio adicionais aos varejistas". 

O pagamento instantâneo pelo PIX promete permitir que transações financeiras sejam realizadas em tempo real durante 24 horas por dia, inclusive em fins de semana e feriados. 

Na avaliação de Campos Neto, a sociedade brasileira demanda instrumentos de pagamento com as seguintes características: baratos, seguros, rápidos, transparentes e de estruturas abertas. Assim, ele destacou o Open Banking, que entra em novembro, e o PIX em paralelo.

"Vemos esses sistemas se encontrando la na frente de forma interoperável, aberto e instantâneo. Entendemos que em algum momento vamos internacionalizar e digitalizar nosos mercado", afirmou.

O presidente do BC destacou que o sistema terá um baixo custo na ponta, de forma que o novo meio de pagamento seja acessível e efetivo tanto para aquele que paga quanto para quem recebe. "Destaco ainda que haverá gratuidade para pessoas físicas, de forma a possibilitar igualdade de condições a outros meios de pagamentos", observou. 

"Confio que as instituições participantes desenvolverão modelos de negócio e estratégias interessantes e economicamente atrativas, ofertando o Pix às empresas de modo a refletir o baixo custo e agregar serviços que gerem valor para os clientes", acrescentou.

Novidades em breve

Ele adiantou também que o regulamento definitivo do PIX será divulgado no próximo mês. "Especificações estão sendo compiladas em manual específico, as ações necessárias estão sendo tomadas por parte do BC e deverão ser asseguradas por todos os participantes e provedores de solução, para que tenhamos um ecossistema resiliente para toda a sociedade brasileira", disse.

Campos Neto reforçou ainda que o uso do sistema receberá um acompanhamento especial para que às questões relacionadas à segurança sejam solucionadas de forma rápida. 

De acordo com o BC, ao todo, 980 instituições financeiras foram aprovadas para participar do processo de implementação do PIX. "Estou seguro que todos os envolvidos estão comprometidos e engajados em viabilizar tempestivamente essa entrega tão importante à sociedade, e contribuir com esse processo de transformação estrutural da indústria de pagamentos", observou Campos Neto.

Ao lembrar que uma nova seleção de instituições financeiras que têm interesse em participar do sistema será aberta a partir de 1º de dezembro, ele recomentou que aquelas que tiveram a solicitação de adesão indeferida verifiquem os requisitos necessários e se adequem para participar do processo no fim do ano. 

Pagamentos instantâneos 

Tanto o PIX como o Open Banking fazem parde da Agenda BC#, que concentra a pauta estratégica da autoridade monetária, tendo como objetivo promover a democratização financeira por meio da evolução tecnológica, transformando a estrutura do sistema financeiro e de pagamentos.

Lançado pelo BC no início deste ano, o sistema de pagamento eletrônico PIX, vai permitir que as operações financeiras, como DOC, TED e outros pagamentos, sejam realizadas em até dez segundos. O PIX também promete promete acabar com as limitações das transações, permitindo que sejam feitas durante 24 horas por dia, inclusive em fins de semana e feriados. 

Já o Open Banking vai permitir que, por meio de uma plataforma única, as informações financeiras de cada cliente seja compartilhada com outras instituições financeiras, apenas após o consentimento do próprio cliente. A abertura das informações também se aplicará aos serviços oferecidos pelas instituições, de forma a favorecer a competição e reduzir custos.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook