Azul fecha acordo com pilotos e comissários para reduzir jornada e salários

Acordo tem duração de 18 meses e vai permitir à companhia cortar custos e preservar caixa. Em contrapartida, demissões sem justa causa ficam proibidas

Paula Arend Laier, da Reuters
25 de junho de 2020 às 10:10

Azul não poderá fazer demissões sem justa causa durante vigência do acordo

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

A Azul acertou acordo com sindicatos de pilotos e comissários que aprovaram em assembleias redução de jornada de trabalho e salários em meio à crise causada pela pandemia de Covid-19.

"O acordo tem duração de 18 meses, e permite à companhia ter total flexibilidade em termos de custos de pessoal à medida em que retoma sua malha de acordo com a recuperação da demanda', afirmou a companhia aérea.

"Esse contrato nos permite manter empregos e, ao mesmo tempo, reduzir custos e preservar caixa", afirmou John Rodgerson, presidente-executivo da Azul, em comunicado.

O Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) afirmou que os tripulantes associados da Azul aprovaram em assembleias em 23 e 24 de junho as três propostas de acordo apresentadas pela companhia, com início em 1º de julho.

"Ressaltamos que a contrapartida dos acordos é a garantia de emprego, ficando vedada qualquer demissão sem justa causa durante o período de vigência" dos acordos, afirmou o SNA.

A Gol também fechou no começo do mês acordo com pilotos e comissários para flexibilizar jornada e salários até 2021.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook