Dólar fecha perto da estabilidade, a R$ 5,33, após dia de alta volatilidade

A moeda começou o dia em alta de 1%, mas chegou a cair 1% e tocar os R$ 5,26 na mínima do dia

Do CNN Brasil Business, em São Paulo*
25 de junho de 2020 às 09:16 | Atualizado 25 de junho de 2020 às 17:50
Coronavírus provoca queda na taxa de juros norte-americana (02.Mar.2020)
Foto: Guadalupe Pardo/Reuters

Após um dia de sessão volátil,  o dólar encerrou esta quinta-feira (25) próximo da estabilidade, com leve alta de 0,06%, cotado a R$ 5,328 na venda. A moeda começou o dia em alta de 1%, mas chegou a cair 1% e tocar os R$ 5,26 na mínima do dia. Na quarta-feira, a moeda norte-americana fechou em alta de 3,33%, a R$ 5,324, na maior valorização percentual diária desde 18 de março de 2020 (+3,94%).

Pioras nos números de infecções globais pelo novo coronavírus têm nublado o otimismo de investidores pela perspectiva de uma recuperação econômica. Nos EUA, 26 dos 50 estados voltaram registrar aumento nos casos. Na Europa, países como Portugal também observam o movimento.

Leia também:
Banco Central atualiza projeção e prevê recessão econômica de 6,4% em 2020
Empresas de saneamento disparam na B3 mesmo antes do marco. Ainda vale investir?
FMI: Brasil terá segundo maior rombo das contas públicas do mundo em 2020

Por outro lado, dados do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos no primeiro trimestre, divulgados hoje, ficaram em linha com a expectativas e acalmaram em parte os nervos. O PIB do trimestre caiu 5% na taxa anualizada, com as novas encomendas do núcleo de bens de capital se recuperando mais do que o esperado em maio.

Álvaro Bandeira, economista-chefe do banco digital Modalmais, diz que a volatilidade deve permanecer, destacando fortes oscilações nas bolsas de valores e nas moedas arriscadas.

No Brasil, investidores também reagiram à piora da projeção do Banco Central para o PIB do país, agora com queda esperada de 6,4%, ante crescimento zero calculado em março.

As projeções do banco, divulgadas em seu Relatório Trimestral de Inflação, sinalizam "tom de cautela na condução da política monetária, diante da elevação de incertezas", disseram em nota analistas do Bradesco, o que poderia significar uma pausa no ciclo de corte de juros do BC, que derrubou a taxa Selic a mínimas históricas sucessivas.

O fraco desempenho econômico brasileiro, somado a incertezas políticas locais e a um cenário de juros baixos, tem sido apontado por analistas como fator de impulso para o dólar, que acumula ganho de 33% contra o real em 2020.

Neste pregão, o Banco Central vendeu o total da oferta de 12 mil contratos de swap tradicional para novembro de 2020 e fevereiro de 2021, para rolagem de contratos. O BC também vendeu oferta integral de US$ 1,5 bilhão em leilão de moeda estrangeira com compromisso de recompra, operação para rolagem do vencimento 2 de julho de 2020.

*Com Reuters

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook