Queda do PIB pode ser um pouco melhor do que se espera, diz Sergio Vale

Apesar da incerteza, Vale crava que a queda será significativa, e que terá impacto direto na inflação brasileira

Da CNN, em São Paulo
26 de junho de 2020 às 03:43

Nesta quinta-feira (25) o Banco Central divulgou novas projeções econômicas para o Brasil em que prevê recessão de 6,4% em 2020. Apesar de ruim, o número é ainda mais otimista que a projeção do FMI para o país, que é de queda de 9,1%.

Apesar dos números ruins, Sergio Vale, economista-chefe da MB Associados, diz que os números de maio e os preliminares de junho mostram um quadro de melhora, que coloca a projeção de queda do PIB de sua consultoria entre as projeções de BC e FMI: 7,8%.

Leia também

Bolsonaro diz que auxílio será estendido e deve ter mais três parcelas

BNDES ampliará linha de capital de giro em R$ 5 bilhões, diz Gustavo Montezano

Pedidos de seguro-desemprego totalizam 351.315 na 1ª quinzena de junho

“De fato quando olhamos os dados de abril e maio, tínhamos a percepção que os números seriam piores, mas com os dados de maio e junho é possível ver uma queda de PIB um pouco melhor do que se imaginava, porém são dados ainda incertos.”

Apesar da incerteza, Vale crava que a queda será significativa, e que terá impacto direto na inflação brasileira, cujo consenso no mercado é de crescimento de 1,6%.

“É um número baixo. A única preocupação de inflação que temos nesse ano é de alimentos, que está com problema de oferta e pode ter inflação de até 8% no final de 2020. Ainda assim o valor não vai puxar a inflação pois os outros indicadores do IPCA terão quedas significativas.”

(Editado por: Diego Freire)