Mídia estatal chinesa pede cautela em meio a rali nos mercados locais

Porém, investidores não acataram a mensagem e elevaram os índices de ações chineses pelo oitavo pregão

Reuters
09 de julho de 2020 às 15:05

Bolsa de valores de Xangai, na China: mídia estatal quer cautela aos investidores, que não acataram a sugestão

Foto: Reuters/Aly Song

A mídia oficial chinesa recomendou nesta quinta-feira que investidores de varejo sejam prudentes, enquanto reguladores se opuseram a empréstimos ilegais de margens, expondo a preocupação de Pequim de que um saudado rali nos mercados locais possa se transformar em uma repetição de evento de cinco anos atrás, quando os mercados sofreram um tombo depois de fortes e rápidas altas.

Mas investidores não acataram a mensagem e elevaram os índices de ações chineses pelo oitavo pregão, colocando os ganhos neste mês em 16%, o que testava a promessa do principal regulador de valores mobiliários, Yi Huiman, em junho de abster-se de intervenção no mercado.

Leia também:
Ações chinesas continuam rali e índice de blue chips já cresceu 16% no mês

"A lição trágica da volatilidade anormal do mercado de ações em 2015 permanece vívida, advertindo-nos de que devemos promover um mercado de ações saudável e próspero em uma postura correta", disse o China Securities Journal em editorial, referindo-se ao último crash que provocou ondas de choque nos mercados globais.

O jornal, afiliado à agência de notícias estatal Xinhua, disse que investidores devem respeitar o mercado, gerenciar riscos e buscar investimentos racionais.

O alerta veio poucos dias depois de um editorial no mesmo jornal afirmar que a China precisa de um mercado em alta para ganhar força "em um mundo em mudança", o que intensificou o rali do mercado.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook