Startup QuintoAndar cobre R$ 50 milhões em atrasos de aluguel na pandemia


Marcelo Sakate, do CNN Brasil Business, em São Paulo
21 de julho de 2020 às 13:34 | Atualizado 21 de julho de 2020 às 14:12
QuintoAndar

Startup QuintoAndar: alta do número de contratos de aluguel passado o pior momento da crise 

Foto: Reprodução/Facebook

Os efeitos da pandemia sobre o mercado de imóveis ainda estão sendo dimensionados. Para a maior empresa do país em aluguel de casas e apartamentos, a startup QuintoAndar, a crise a levou a desembolsar R$ 50 milhões em atrasos mensais de inquilinos desde o início da pandemia.

O valor expressivo equivale a cerca de um terço do volume total (R$ 150 milhões) que ela havia utilizado para cobrir atrasos nos cinco anos de sua existência até março, quando os efeitos da crise do novo coronavírus começaram a ser sentidos com força na economia brasileira.

"A crise serviu como um teste de fogo do nosso modelo de bancar atrasos no pagamento", disse Gabriel Braga, sócio-fundador e CEO do QuintoAndar. Isso porque a startup submete periodicamente esse modelo aos chamados testes de estresse, que simulam o crescimento dos casos de atrasos do aluguel para avaliar o quanto a empresa consegue suportar sem colocar em risco as próprias finanças.

"Apesar da crise sem precedentes, os atrasos não chegaram a superar o nosso pior cenário simulado", afirmou o empreendedor ao CNN Brasil Business. Braga diz que a startup não teve que recorrer ao seguro "guarda-chuva" de cerca de R$ 1 bilhão para casos emergenciais.

Leia mais:
Loft e Zap mostram que espaço para home office já impacta o mercado de imóveis
Preço dos imóveis sobe 1,1% no semestre e supera inflação, diz FipeZap

A empresa não divulga os dados de atrasos por motivos de estratégia. Mas Braga afirma que o "susto maior" já passou, o que sinaliza alguma estabilidade nos indicadores de aluguel. Segundo ele, acordos acertados com as startup Mova e PicPay ajudaram a oferecer alívio financeiro (crédito) para parceiros como imobiliárias que atuam na plataforma digital, além de corretores e fotógrafos. 

Expansão geográfica

Braga diz que a solução de proteção da renda do proprietário, oferecida pela startup desde o seu início como um diferencial no mercado, passou a ser mais valorizada com a pandemia, na medida em que milhões de trabalhadores perderam o emprego e a renda com a crise. Atualmente, o volume de transações já é equivalente ao que era registrado antes da chegada do novo coronavírus.

Diante da retomada dos negócios, o QuintoAndar decidiu retomar os planos de crescimento previstos no início do ano. A empresa entrou no segmento de compra e venda de imóveis em São Paulo e pretende expandir a atuação para outras cidades até dezembro. "Tínhamos dúvida sobre como a compra de imóveis iria se comportar com a crise, mas vemos que está normalizando", diz Braga.

Clique aqui e siga a página do CNN Brasil Business no Facebook