Carlos da Costa: MPEs podem gerar crescimento de mais 4% no PIB até 2030

O que melhoraria esse número, segundo o secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, seria o aumento da eficiência dessas companhias

Anna Russi, do CNN Brasil Business, em Brasília
22 de julho de 2020 às 18:40 | Atualizado 22 de julho de 2020 às 18:43
Carlos da Costa: "A produtividade das micro e pequenas empresas é o equivalente a 22% das grandes companhias do país"
Foto: CNN/Divulgação

O secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos da Costa, afirmou que as micro e pequenas empresas (MPEs) são fundamentais para a retomada da atividade econômica. Na estimativa dele, sozinhas, as MPEs podem ser responsáveis por um crescimento de mais 4 pontos percentuais do Produto Interno Bruto (PIB) em 10 anos. 

"Atualmente a produtividade das micro e pequenas empresas é o equivalente a 22% das grandes companhias do país. Se esse percentual atingisse 60%, o Brasil poderia crescer mais de 4% ao ano durante 10 anos, apenas por conta disso", disse ele durante debate virtual promovido pelo Bando do Nordeste de Desenvolvimento. "Isso mostra a oportunidade que temos com as MPEs.

Leia também: 
Guedes apresenta proposta de reforma tributária com fusão de impostos federais
Reforma tributária do governo prevê alíquota de 12% e isenção da cesta básica

Segundo Costa, o trabalho para elevar a produtividade das MPEs será dividido em cinco pilares. "O primeiro é formalizar a micro e pequena empresa. Mas isso tem que ser de forma simples e fácil. Não basta só abrir CNPJ, por exemplo. Não pode vender e comprar sem nota, não pode ter funcionário informal. Nós sabemos que a formalização traz um ganho grande de produtividade", observou. 

O segundo pilar é o acesso ao crédito. Para este, o secretário destacou o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). O terceiro pilar, de acordo com ele, é a capacitação empresarial.

"Precisamos apoiar as nossas micro e pequenas empresas para que elas desenvolvam capacidade gerencial e capacidade de inovação, capacidade de alcançar novo patamar empresarial, de gestão, de criação de valor, de formação de pessoas", completou. 

Os dois últimos pilares são o da digitalização e o da exportação. Para o secretário, a digitalização traz para as MPEs ferramentas antes de grandes empresas. "Somente 0,7% das nossas exportações vem de micro e pequenas empresas. Esse é um dos menores números do mundo. Precisamos apoiá-las para que exportem muito mais. Com esses cinco pilares, esperamos dar um salto de produtividade", disse.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook