Brasil precisa ser pragmático na disputa EUA-China sobre 5G, diz ex-embaixador

Roberto Abdenur diz que pela primeira vez na história os EUA estão em inferioridade em diversas disputas internacionais

Da CNN
27 de julho de 2020 às 23:01 | Atualizado 27 de julho de 2020 às 23:03

Envolvido na disputa geopolítica entre Estados Unidos e China sobre qual tecnologia utilizar para implementar a rede de internet móvel 5G, o Brasil vive dilema sobre permitir ou não a entrada da chinesa Huawei no leilão de frequências no país. Segundo Roberto Abdenur, ex-embaixador do Brasil nos Estados Unidos, China e Alemanha, o Brasil deveria manter postura "equidistante" na disputa.

"O Brasil precisa atuar de maneira fria e pragmática, evitando alinhamentos ideológicos. É muito importante nós não tomarmos lado nesse confronto e preservar postura independente e equidistante em relação à disputa entre China e EUA", afirmou.

Ele relembra o caso em que o Brasil foi o único país a assinar um documento em conjunto com os Estados Unidos pedindo para que a Organização Mundial do Comércio (OMC) banisse do órgão qualquer economia que não fosse de mercado, uma crítica à China e ao envolvimento estatal na economia do país.

Leia também:

Leilão do 5G deve acontecer no primeiro semestre de 2021, diz Fábio Faria

Países da UE precisam diversificar fornecedores de 5G, diz Comissão Europeia

Defendemos liberdade econômica, diz presidente do SindiTelebrasil sobre Huawei

"Foi uma tentativa do governo dos EUA de expulsar a China da OMC. O governo brasileiro, ao se alinhar sozinho aos Estados Unidos, cometeu um erro diplomático de alinhamento excessivo e subserviência aos EUA. É válido criticar o papel grande do Estado na economia chinesa, mas isso o Brasil poderia fazer isso nos debates, e não em uma postura claramente contra a China."

Inferioridade

Abdenur ressalta que vivemos um momento único em que os Estados Unidos estão em situação de inferioridade em relação à China na questão do 5G, na busca pela vacina contra a Covid-19 e na expansão comercial.

"Surpreendente ver os EUA em situação de inferioridade. Na questão do 5G, os EUA têm estratégia de contenção contra a China, mas sem sucesso, pois estão em inferioridade tecnológica. Os EUA também estão perdendo a corrida da vacina contra a Covid-19, já que a China ganhou pontos ao anunciar que sua vacina será um bem comum da humanidade. Além disso, há o projeto da nova Rota da Seda, cobrindo Europa e Ásia, em que os Estados Unidos não têm cacife para competir."

(Edição: Bernardo Barbosa)