Ibovespa tem alta após reunião do Fed; dólar sobe a R$ 5,17

Decisão do BC americano animou os investidores e a bolsa brasileira fechou o dia acima dos 105 mil pontos

Do CNN Brasil Business, em São Paulo
29 de julho de 2020 às 09:08 | Atualizado 29 de julho de 2020 às 17:35
Pedestre caminha de máscara em frente à Bolsa de Valores de Nova York (18.mar.2020)
Foto: Lucas Jackson/Reuters

Os investidores reagiram com otimsmo à decisão do banco central americano de manter as taxas de juros no país entre zero e 0,25%. O Ibovespa fechou o pregão desta quarta-feira (29) com alta de 1,44%, aos 105.605,17 pontos. 

O resultado da reunião do Fed já era esperado e reitera o posicionamento do órgão de deixar as taxas básicas de juros dos Estados Unidos no menor patamar possível até que se tenha certeza que a economia do país resistiu à crise do coronavírus. 

Com isso, o dólar ganhou força e fechou em alta frente ao real. O dólar à vista é negociado a R$ 5,17, uma alta de 0,29%

No Brasil, a pauta de balanços desta quarta-feira ainda promete os números de Vale, GPA, Localiza e TIM. Ambev, Bradesco e Usiminas saem na quinta-feira, antes da abertura.

Destaques 

A semana do mercado brasilero está sendo marcada pela divulgação de balanços importantes. Um deles foi o da CSN, que reverteu prejuízo de R$ 1,312 bilhão visto nos três primeiros meses do ano. A siderúrgica avançou 4,83% no pregão desta quarta-feira. 

O Grupo Natura teve a maior valorização do pregão, de 6,73%, depois que uma ação comercial de Dia dos Pais com o ator Thammy Miranda fez a empresa ficar entre os assuntos mais comentados da internet. 

O Santander subiu 3,51%, mesmo após queda de 41% no lucro do segundo trimestre, principalmente por causa de provisões adicionais, com o banco dizendo que são suficientes para atravessar a crise

No campo das perdas, a Cielo fechou com declínio de 3,52%, após prejuízo trimestral, afetado pela pandemia, enquanto ajusta estrutura de custos e de capital para enfrentar um cenário de forte queda dos resultados.

Lá fora

A confirmação de apostas em uma postura "dovish" do banco central norte-americano, ou seja, de reitar estímulos monetários, fez os índices norte-americanos subirem. 

Em Wall Street, os principais índices avançaram. O Dow Jones teve variação positiva de 0,61%, o S&P 500 cresceu 1,24% e o Nasdaq 100 subiu 1,24%.

Os mercados europeus fecharam antes do anúncio do Fed e, à espera da decisão, ficaram praticamente estáveis.

Em dia agitado de balanços, o índice FTSEurofirst 300 caiu 0,01%, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 0,06%.

Os principais índices de referência da Europa fecharam praticamente estáveis nesta quarta-feira com os investidores aguardando notícias do Federal Reserve, mas uma enxurrada de balanços provocou grandes oscilações em ações individuais.

Na China, o índice de referência registrou o maior ganho em mais de uma semana neste pregão, com os investidores comprando ações após a recente queda. O índice de Xangai teve alta de 2,06%, no melhor desempenho diário desde 20 de julho, enquanto o CSI300 subiu 2,42%, o maior ganho diário desde segunda-feira (27).

(Com Reuters)