BC autoriza testes de pagamentos com o WhatsApp, dizem Mastercard e Visa


André Jankavski, do CNN Brasil Business, em São Paulo
31 de julho de 2020 às 18:38 | Atualizado 31 de julho de 2020 às 19:40
Logo do WhatsApp

Chaveiros com o logo do WhatsApp: medida ocorre após mais de 30 dias da suspensão dos testes

Foto: Rupak De Chowdhuri/Reuters

Depois de pouco mais de um mês, o Banco Central liberou o WhatsApp a começar a fase de testes do seu meio de pagamento. Pelo menos, é o que afirmam as empresas Mastercard e Visa, também bandeiras de cartão de crédito.

Segundo a Mastercard, em comunicado enviado ao CNN Business, foi feito uma solicitação epara que novos emissores interessados no WhatsApp Pay realizem testes – e logo veio a autorização.

Leia também:
Com função de pagamentos, WhatsApp pode se tornar 'super app' e ameaçar bancos
Entrada do WhatsApp pode mudar o cenário da 'guerra das maquininhas'

Porém, segundo a empresa, "a funcionalidade ficará liberada apenas para um grupo limitado de cartões que realizarão transações de baixo valor".

Além disso, a companhia se colocou à disposição para seguir contribuindo com o regulador para que o serviço seja liberado para o consumidor final. 

A rival Visa também confirmou que recebeu o aval da autarquia para fazer os testes, mas sem autorização para realizar nenhuma transação comercial.

"Acreditamos que esse é um passo importante para continuar aperfeiçoando esse modelo de pagamento e inserir mais parceiros no projeto", disse a empresa em nota. 

Procurado, o Banco Central não respondeu aos pedidos do CNN Business.

Relembre o caso

O WhatsApp anunciou em 15 de junho que seus usuários poderiam fazer pagamentos por meio do aplicativo, numa parceria que também incluía Banco do Brasil e a empresa de meios de pagamentos Cielo.

Mas dias depois o BC mandou as bandeiras de cartões Visa e Mastercard suspenderem o uso do aplicativo para pagamentos e transferências com o WhatsApp enquanto avalia eventuais riscos para o Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB).

Na semana passada, o diretor do BC João Manoel Pinho de Mello afirmou que a autoridade monetária autorizará pagamentos por meio do Whatsapp, caso entenda que o mecanismo está ao alcance de todos os participantes do mercado.

No começo desta semana, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) pediu à Cielo e ao Facebook esclarecimentos sobre um sistema de pagamentos via Whatsapp.

A Cielo afirmou nesta sexta-feira que não recebeu do BC nenhum comunicado a respeito de uma autorização para testes.

O WhatsApp afirmou que não vai comentar o assunto.

(com informações da Reuters)

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook