Construtora gaúcha Melnick Even pede registro para IPO

A Melnick, que tem a Even como controladora, com 68% do capital, se apresenta como uma das maiores construtoras e incorporadoras do Rio Grande do Sul

Reuters
31 de julho de 2020 às 16:39
Dia de pregão na bolsa de valores de São Paulo: construtora Melnick Even vai abrir capital
Foto: Paulo Whitaker/Reuters

A construtora gaúcha Melnick Even pediu registro para uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), ampliando a onda do setor em busca de recursos no mercado de ações, numa aposta de que a taxa de juros na mínima história no país manterá o boom do crédito imobiliário.

A Melnick, que tem a Even como controladora, com 68% do capital, se apresenta como uma das maiores construtoras e incorporadoras do Rio Grande do Sul.

Segundo informações desta sexta-feira da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a operação incluirá ofertas primária --ações novas, cujos recursos vão para o caixa da companhia – e secundária – papéis detidos por atuais sócios. A operação será coordenada por BTG Pactual, Itaú BBA, XP e Safra.

Leia também:
Temporada de IPOs na bolsa: vale a pena comprar ação de uma empresa estreante?
A volta dos IPOs: O que observar antes de investir em ações de empresas novatas
Cogna faz registro para IPO de sua subsidiária Vasta, nos EUA

A Melnick afirmou que pretende usar os recurso da oferta primária para compra de terrenos, fortalecer a posição de caixa. O nome do acionista vendedor na oferta secundária não foi informado no documento.

Focada em empreendimentos residenciais de alto padrão, a companhia entrou mais recentemente nos segmentos de médio e baixo padrão e comerciais, como de loteamentos e de construções incluindo hospitais.

A Melnick afirma ter valor geral de vendas potencial de R$ 3,9 bilhões e outros R$ 7,1 bilhões em terrenos sujeitos a opção de compra.

A companhia afirma no prospecto preliminar da oferta que teve receita líquida de R$ 321,8 milhões no primeiro semestre, com Ebitda ajustado de R$ 51 milhões e lucro líquido de R$ 38 milhões.

O pedido da Melnick amplia a fila de construtoras esperando por registro para também concluir uma oferta de ações, após a taxa básica de juros no país ter caído a 2,25% ao ano, com o Banco Central tentando ajudar a combater os efeitos recessivos da pandemia do coronavírus.

A Abecip afirmou na semana passada que o crédito destinado à compra e construção de imóveis avançaram 28,6% no primeiro semestre, a R$ 43,35 bilhões, com a entidade afirmando que o impacto da crise sobre o setor foi reduzido.

Mais cedo este mês, a Nortis e a Lavvi também pediram aval para IPO. A paulistana You Inc retomou os planos de listagem. E a Inter Construtora, listada no Bovespa Mais, informou que também avalia fazer uma oferta de ações.

Por outro lado, a Direcional Engenharia anunciou na terça-feira o cancelamento de oferta de ações de sua controlada Riva 9, citando "condições de mercado".

Clique aqui e siga a página do CNN Brasil Business no Facebook